As melhores da Dinheiro Rural 2016

Um ano para comemorar

A Programa Leilões aposta na venda de touros para consolidar sua posição no mercado de leilões

Um ano para comemorar

Pista cheia : reprodutores são vendidos em leilões presenciais e também pela internet

Leilões

O ano de 2015 foi um marco para a Programa Leilões. A empresa do setor de venda de animais em pregões, com sede em Londrina (PR), se firmou como uma grande leiloeira de reprodutores bovinos do País. Para outras categorias de animais, como os de elite, por exemplo, ela já é líder há mais de uma década. “O ano foi um divisor de águas”, afirma Paulo Horto, proprietário da Programa, escolhido a Personalidade do Setor de Leilões do anuário AS MELHORES DA DINHEIRO RURAL 2016. “A Programa começou a investir no segmento de venda de reprodutores em 2012 e viemos crescendo.”

Em 2015, a empresa negociou 24 mil reprodutores, 1,2% a mais que no ano anterior. Entre todas as categorias foram 151,2 mil lotes de animais, prenhezes e sêmen. O preço médio dos reprodutores foi de R$ 9,5 mil, uma alta de 23% ante o ano anterior. “Cada vez mais, há uma consciência da importância dos touros melhoradores, tanto para as raças zebuínas como para as taurinas”, diz Horto. “O reprodutor é uma peça fundamental para que a pecuária brasileira continue a crescer.”

Com 35 anos de carreira, que serão completos em 2017, Horto é um dos mais experientes empresários do setor de leilões. Sua empresa foi uma das primeiras a realizar eventos de seleção genética transmitidos pela televisão e também pela internet, nos últimos 15 anos “O leilão virtual é uma ferramenta maravilhosa, que oferece praticidade e ainda vai crescer muito”, diz Horto. “Mas os grandes pregões presenciais, onde a maior parte dos produtores é vendida, jamais deixarão de acontecer.”

A Programa realiza 500 leilões por ano, em média. Para dar conta de eventos organizados em todo o País, a leiloeira conta com 200 funcionários. “Nós somos uma empresa que atua em eventos de todas as raças e em todos os Estados”, diz o leiloeiro. Embora não esteja presente em parte dos eventos, porque seria impossível cumprir essa imensa agenda, Horto afirma que está na organização de todos eles. “Tenho mais horas de vôo que muito piloto de avião”, diz. “Faz parte do meu serviço.”