Economia

Carne Fraca aponta crimes contra saúde pública

São Paulo, 17 – A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) divulgou nota no fim da tarde desta sexta-feira, 17, condenando “veementemente” as ações criminosas de funcionários de alguns dos maiores frigoríficos do País e fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura investigados pela Operação Carne Fraca, deflagrada hoje pela Polícia Federal.

“A venda e o uso de carnes sem as condições adequadas de consumo humano no processamento de produtos industrializados é um crime contra a saúde pública que deve ser rigorosamente apurado e, seus autores, penalizados”, destacou a Faesc. “Essa conduta ilícita causa prejuízos à imagem do Brasil e pode criar embaraços junto aos mercados mundiais duramente conquistados nas últimas décadas através de esforços dos produtores rurais e das agroindústrias.”

A Faesc disse ainda que Santa Catarina e o Brasil possuem as mais avançadas cadeias produtivas de carnes, com base em uma agropecuária sustentável e uma indústria moderna. “Os crimes investigados pela Polícia Federal representam uma excepcionalidade que deve ser reprimida com a força da lei.”

A federação lamentou que os produtores rurais, “cuja contribuição ao desenvolvimento nacional é imensa, possam ser prejudicados com esses atos criminosos”. A Faesc assinalou ainda que confia na ação dos órgãos competentes para “elucidação dos fatos e adoção de medidas” para que as irregularidades não voltem a ocorrer.