As melhores da Dinheiro Rural 2016

Engorda em larga escala

O Confinamento Monte Alegre coloca 27 mil bovinos em sistema intensivo e mostra que a sustentabilidade é a alma do negócio

Engorda em larga escala

referência: a engorda da CMA foi de 27 mil bovinos no ano passado, com 25% de aumento neste ano

GRANDE CONFINAMENTO

Criar gado em sistemas in­tensivos no Brasil não é uma tarefa simples. Isso porque, ao contrário de outros grandes países pro­dutores de carne bovina, como os Estados Unidos, em que o confinamento faz parte de quase toda a vida de um animal, no Brasil ele é uma estratégia para a engorda do gado por alguns meses antes do a­bate. São duas naturezas diferentes de negócio. No caso do Brasil, saber o momento exato de utilizar o sistema tem sido o grande desafio. O Confinamento Monte Alegre (CMA), de André Luiz Perrone dos Reis, do município de Barretos (SP), parece ter encontrado um caminho. Não por acaso, ele é o campeão da categoria Grande Confinamento, entre os Destaques da Pecuária no prêmio AS MELHORES DA DINHEIRO RURAL 2016.

O confinamento, de 30 mil animais, tem se tornado referência em sustentabilidade. No início deste ano, além da habilitação para exportar animais vivos, o CMA foi certificado pelo Rain Forest Alliance, selo socioambiental reconhecido mundialmente. É o primeiro projeto do País autorizado a utilizar o selo em seus produtos. “A certificação nos provoca bastante”, afirma Reis. “Práticas de controle e ações voltadas à visão sustentável são desafios diários.” O CMA também é certificado pela ONG de pecuaristas Aliança da Terra e pelo Marfrig Club, do grupo frigorífico Marfrig Foods.

A certeza da demanda por seus produtos levou Reis a engordar 27 mil bovinos no ano passado e a aumentar o volume deste ano em 25%. Isso porque, mesmo em um ano de margem de lucro muito estreita, o pecuarista conseguiu ampliar as parcerias com produtores que levam seus animais para a engorda em sistema de boitel. O produtor também conseguiu diversificar a dieta do gado com o uso de subprodutos da indústria de suco de laranja, como a polpa cítrica. E, para tomar decisões mais rapidamente na gestão do negócio, Reis conclui a integração automatizada dos controles zootécnico do rebanho e administrativo. “Combinar informações em tempo real nos dá maior agilidade nos processos”, diz Reis. “Por exemplo, se um lote de animais não se alimenta adequadamente, imediatamente é possível verificar o motivo.”66