As melhores da Dinheiro Rural 2016

Pasto turbinado

A Agropecuária Jacarezinho, especialista na venda de touros, também marca ponto com os bezerros comerciais

Pasto turbinado

escala: a produção no pasto, base da criação, tem garantido bezerros de qualidade

GADO DE PRODUÇÃO

Há um ano, a agropecuária Jacarezinho, criada pelo empresário Alexan­dre Grendene, em 1993, foi vendida ao empresário Marcos Molina, controlador do grupo frigorífico Marfrig Foods, com operações em 11 países e receita global de R$ 19 bilhões em 2015. A agropecuária, de 47 mil hectares no município de Vanderlei, no Oeste baiano, é famosa no setor do agronegócio por causa da produção de touros com Certificado Especial de Identificação e Produção (CEIP), documento outorgado pelo Ministério da Agricultura para animais superiores que saem de programas de melhoramento genético. Mas a Jacarezinho também produz bezerros. E daqui para a frente cada vez mais em larga escala, em função da sua unificação com as demais fazendas de Molina, localizadas nos Estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás. “Um bezerro de qualidade superior é garantia de sucesso na recria e na engorda“, diz Molina. “Queremos formar uma base de alta qualidade para a pecuária nacional.” Neste ano, a Jacarezinho é a campeã da categoria Gado de Produção, entre os Destaques da Pecuária no prêmio AS MELHORES DA DINHEIRO RURAL.

Em 2015, a fazenda vendeu oito mil bovinos desmamados, mas esse número deve crescer. Isso porque o projeto é dobrar o rebanho de 25 mil fêmeas nelore nos próximos anos. “Com um grande número de animais, podemos colocar uma forte pressão de seleção”, diz Molina. Um experimento na Jacarezinho, com 1,4 mil bezerros, mostrou que, criados no pasto por 17 meses e confinados por mais três meses, os animais podem ser abatidos com 20 arrobas e 57% de rendimento de carcaça, números superiores aos rebanhos comerciais.

O bom desempenho tem fundamento. A Jacarezinho foi uma das primeiras empresas no País a utilizar informações genômicas no trabalho de reprodução de bovinos, em 2008. Com isso, nos touros jovens, o ganho de confiança de que eles podem transmitir sua genética aos filhos é de cerca de 70%. “Os touros jovens são sempre a última geração nascida numa fazenda, portanto representam o último passo dado no melhoramento genético”, afirma Ian Hill, gerente geral das fazendas. “Como estamos ampliando o uso de tecnologias de reprodução, os resultados podem vir mais rapidamente.”61