Negócios

O de legado uma lenda

Um dos rebanhos mais famosos - e valiosos - do Brasil, do falecido pecuarista Rubico de Carvalho, é colocado à venda em uma série de leilões que prometem mexer com a pecuária brasileira

Mestre do rebanho: Rubico de Carvalho, um dos pioneiros no desenvolvimento da pecuária brasileira

Toda história tem um começo e, no caso da pecuária brasileira, com seu rebanho estimado em mais de 200 milhões de cabeça, não é diferente. O pecuarista Rubens de Andrade Carvalho, conhecido simplesmente como Rubico, ao lado dos criadores Nenê Costa, Torres Homem Rodrigues da Cunha, Celso Garcia Cid e Jacinto Honório da Silva, foi um dos protagonistas dessa saga. Foi Rubico, falecido no ano passado, aos 92 anos, que enxergou, na raça nelore, até então criada apenas nas longínquas terras da Índia, o futuro dos rebanhos brasileiros. Coube a ele convencer os companheiros a viajar até aquele País para selecionar e trazer para o Brasil os melhores animais. Uma empreitada que mudou a cara da pecuária nacional. Rubico fez questão de dividir a genética com quem estivesse interessado e aquele rebanho de pouco mais de 300 cabeças formou a base de um plantel que hoje conta com 80% de animais da raça nelore. Com esse faro para a pecuária, não é de se admirar que ele tenha criado, em sua fazenda Brumado, localizada em Barretos, no interior de São Paulo, um dos melhores plantéis do País. A bela história é conhecida no mundo da pecuária, porém o que nem todos sabem é que ela tem um preço. Uma série de dez leilões irá colocar à venda todo legado deixado por Rubico. O primeiro, envolvendo animais Brahman, uma raça na qual o pecuarista também foi pioneiro na importação, quando investiu numa fazenda no Texas (EUA ), já aconteceu e faturou R$ 1,8 milhão. Restam ainda nove pregões para que todo o rebanho seja vendido. Para ter ideia da importância desses eventos, essa é a primeira vez que a “cabeceira” do plantel está sendo vendida. Diante disso, a grande pergunta é: por que se desfazer de animais considerados verdadeiras relíquias? A resposta está na divisão do espólio da família, que inclui seis filhos e 20 netos. “Foi uma decisão dolorosa, mas diante da situação foi a melhor solução. Alguns filhos criam, outros não, era impossível fazer uma divisão da herança”, explica a neta de Rubico, Maria de Carvalho Raduan.

 

 

 

R$ 20 milhões é o valor estimado do faturamento total dos dez leilões de liquidação

 

 

 

Leilão histórico: primeiro pregão envolveu gados da raça Brahman e rendeu R$1,7 milhão

O fato é que a venda desses animais já desperta a cobiça de criadores espalhados por todo o País e a expectativa é de que todos os leilões movimentem cerca de R$ 20 milhões. Um dos interessados é o empresário e produtor José Carlos Grubisich, da agropecuária Verdana, que até já visitou o rebanho. “É um padrão racial incrível. O que vi na fazenda foi um verdadeiro tesouro”, derrete-se. Algo compreensível diante da fama de criador atencioso de Rubico.

Descendente de uma família de três gerações de pecuaristas, a história de Rubico se confunde com a trajetória da pecuária brasileira e do processo que fez do Brasil um dos maiores exportadores de carne do mundo. Apaixonado pela sua atividade, bastava avistar um animal pastando pela fazenda para saber quem era a mãe. Uma perícia aprendida ainda adolescente, quando fazia questão de observar como era feita a seleção dos animais com melhor genética, na fazenda do pai. Um conhecimento que o acompanhou ao longo da vida.

Lendas à parte, a verdade é que o cobiçado rebanho da fazenda Brumado foi desenvolvido na base de apostas e riscos. Ter animais de qualidade era quase uma obsessão do criador, o que se reflete bem em seu fanatismo por novas tecnologias. Rubico não pensava duas vezes na hora de adotar descobertas científicas, como fertilização in vitro e transferências de embriões, em seu rebanho. Além disso, vários programas de melhoramento genético, desenvolvidos pela Universidade de São Paulo, tiveram seus primeiros testes realizados dentro da sua fazenda.

 

 

 

Entre touros, vacas e bezerros mil animais serão colocados à venda

 

 

 

Relíquias: rebanho da fazenda Brumado é reconhecido pela excelência genética

Seu trabalho não ficou restrito ao interior de São Paulo. “Rubico é um dos casos em que há um grande trabalho para se apresentar”, avalia o pecuarista da agropecuária VR, Paulo Leonel. O resultado desses anos de trabalho é exatamente o que será colocado à venda. Ao todo, serão disponibilizados algo em torno de mil animais, entre touros, matrizes, novilhas, garrotes e bezerros. Entre eles, joias como o touro Jeru, que possui mais de 90 mil crias comercializadas. “É um animal que vale mais de R$ 3 milhões”, estima um dos filhos de Rubico, Tonico Carvalho. “Não é fácil se desfazer de todo esse plantel. Mas os leilões garantem também o direito dos filhos que querem continuar na pecuária, seguindo os passos do meu pai”, revela.

Seu trabalho não ficou restrito ao interior de São Paulo. “Rubico é um dos casos em que há um grande trabalho para se apresentar”, avalia o pecuarista da agropecuária VR, Paulo Leonel. O resultado desses anos de trabalho é exatamente o que será colocado à venda. Ao todo, serão disponibilizados algo em torno de mil animais, entre touros, matrizes, novilhas, garrotes e bezerros. Entre eles, joias como o touro Jeru, que possui mais de 90 mil crias comercializadas. “É um animal que vale mais de R$ 3 milhões”, estima um dos filhos de Rubico, Tonico Carvalho. “Não é fácil se desfazer de todo esse plantel. Mas os leilões garantem também o direito dos filhos que querem continuar na pecuária, seguindo os passos do meu pai”, revela.