Porteira Aberta

Porteira Aberta

Exportações que valem ouro

Porteira Aberta

O setor de agronegócio brasileiro deve bater o recorde de exportações este ano, afirmou o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, durante reunião em Brasília, no dia 19 de junho. De acordo com o ministro, o setor irá ultrapassar a casa dos US$ 100 bilhões em vendas, crescimento de 5,7% ante os valores obtidos no ano passado. “Embora tenhamos tido problemas de mercado com a Rússia e a Argentina, outros mercados estão se abrindo”, afirma Ribeiro. De janeiro a maio deste ano, as exportações brasileiras cresceram 7,3%, passando de US$ 34,2 bilhões em 2011 para US$ 36,7 bilhões atuais. Esse valor do agronegócio representa 37% de todas as exportações brasileiras no período, de US$ 97,9 bilhões até maio.

Leite
Brasil na liderança

Um estudo da Associação Leite Brasil, entidade que representa os produtores de leite do País sediada em São Paulo, aponta as empresas de laticínios brasileiras como líderes no ranking de crescimento entre os principais países produtores. O balanço, que analisou o período de 2007 a 2011, foi realizado com base no volume de leite entregue para os laticínios nos últimos cinco anos. Em 2007, a produção brasileira era em média de 26 milhões de litros e saltou para 31 milhões de litros em 2011. O ritmo de avanço médio anual da industrialização no Brasil foi de 5,5% nesses quatro anos, à frente da Índia (5,1%), Nova Zelândia (5,1%) e Alemanha (1,8%).

Estados Unidos
Soja em queda

A forte demanda por exportação poderá reduzir consideravelmente os estoques de soja dos EUA até agosto. A avaliação é da consultoria alemã Oil World. Os analistas reduziram suas previsões para os estoques americanos em 31 de agosto para 4,2 milhões de toneladas, ante 4,6 milhões de toneladas estimadas em maio. A previsão ainda está abaixo das 5,85 milhões de toneladas registradas no mesmo período do ano passado.

Café
Safra rica

A produção mundial de café na safra 2012/2013 deve atingir 148 milhões de sacas, um aumento de dez milhões de sacas em relação à temporada anterior. O Brasil e o Vietnã devem contribuir para o crescimento das colheitas de café robusta, segundo o Departamento de Agricultura dos EUA. A produção brasileira será recorde, de 55,9 milhões de sacas, um crescimento de 6,7 milhões no período.

Empréstimo
O Banco do ABC

O Banco do Brasil concedeu empréstimos de R$ 1 bilhão, em mais de três mil financiamentos, pelo programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC), na safra 2011/2012. O valor recorde superou a meta de emprestar R$ 850 milhões. Agora o banco é considerado o principal agente financeiro do programa criado pelo governo federal.

Exportação
Sim aos bovinos vivos

No mês passado, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) negou o pedido da indústria de carne de fixar uma alíquota de 30% de imposto de exportação para bovinos vivos. Segundo os frigoríficos, a exportação de animais vivos cresceu nos últimos anos, o que limitaria a oferta de matéria-prima para abate no mercado interno. A Camex, no entanto, observa que como o volume das exportações não aumentou, não haveria ameaça para a indústria nacional.

Leite 2
A bolsa com mais Vigor

A Vigor, divisão de lácteos do Grupo JBS, abriu capital no mês passado e passou a ter ações na BM&FBovespa. O JBS realizou uma Oferta Voluntária de Permuta de Ações (OPA) em que os acionistas da controladora tiveram a possibilidade de migrar seus papéis e manter na Vigor a mesma participação acionária que já detinham na companhia de carnes. Diante disso, a grande maioria dos acionistas (84%) da JBS migrou para a fabricante de laticínios. Será um total de 149,7 milhões de ações cotadas ao valor inicial de R$ 7,96 por ação. Em 2011, a Vigor faturou R$ 1,5 bilhão.

Defensivos
Parceria milionária

A FMC, multinacional americana de defensivos agrícolas, está investindo US$ 5 milhões em uma nova linha de produção de herbicidas para ampliar a sua capacidade industrial de 38 milhões de litros para 46 milhões de litros, ainda neste ano. A fabricação dos produtos FMC será feita em Paulínia, no interior de São Paulo, na unidade industrial da brasileira Tagma, empresa que também produz herbicidas e fertilizantes. A parceria foi fechada no mês passado. Com a nova unidade, a multinacional pretende dobrar o faturamento anual de vendas e atingir a marca de US$ 1,2 bilhão até 2015, no País.

Tecnologia
Olha o passarinho, praga

A Basf, uma das maiores fabricantes de defensivos agrícolas do País, desenvolveu um aplicativo para os smartphones, chamado Digilab Móbile. Com ele, os produtores rurais podem fotografar potenciais pragas, doenças e plantas daninhas em suas lavouras e compará-las com as mais de 200 imagens de 15 diferentes culturas que fazem parte do banco de dados da empresa. A tecnologia serve de apoio ao trabalho dos técnicos de campo, que ganham tempo para iniciar o combate aos inimigos das lavouras.

Pesquisa
O outro lado da moeda

Um estudo realizado por especialistas brasileiros revelou que o ataque da lagarta da espécie Diatraea saccharalis, a principal praga da cana-de-açúcar, induz na cultura a ativação de um gene relacionado a proteínas de ação antifúngica. Essa descoberta pode colaborar em novos estudos para melhorar a produtividade das lavouras. O estudo foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), da Universidade de São Paulo (USP) e do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) e faz parte de um projeto sobre as interações entre plantas, micro-organismos e insetos.

Água
Campo econômico

Pesquisadores do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar), um instituto privado de pesquisa em tecnologia da informação e comunicação (TIC), desenvolveram um equipamento para o controle da água utilizada na irrigação de lavouras. A peça, instalada na base de cada pivô, coleta informações, armazena os dados sobre o uso da água e os envia para um centro de TIC. Na sequência, o produtor pode receber as análises via internet ou mensagens de texto pelo celular. O desenvolvimento do projeto durou dois anos e a expectativa é que o sistema esteja no mercado até o fim de 2012.

Veterinária
Zoetis da Pfizer

Em junho, a Pfizer Saúde Animal, divisão da americana Pfizer Inc., vai se transformar em uma empresa autónoma na fabricação e comércio de medicamentos veterinários. A empresa, que passará a se chamar Zoetis, fará o registro, nos Estados Unidos, para uma oferta inicial pública de ações (IPO na sigla em inglês). Os detalhes da transação serão divulgados no início de agosto, quando a Pfizer Saúde Animal anunciar seu desempenho financeiro referente ao segundo trimestre de 2012.

Agricultura
Valor bruto cai em 2012

O Valor Bruto da Produção (VBP) agrícola, que é a soma do valor das principais culturas comercializadas pelo País, como soja, milho, café e laranja, entre outros, está estimado em R$ 212,7 bilhões em 2012. O valor deste ano é o segundo maior desde o início do levantamento da série de dados, em 1997, realizado pelo Ministério da Agricultura. Apesar da boa colocação, o VBP atual é 2,5% menor em relação ao do ano passado. A queda é atribuída aos preços agrícolas mais baixos em relação a 2011, e também à queda da produção provocada pela seca no Sul e Nordeste do Brasil.

Biofábrica
Uma gigante em São Paulo

A Syngenta inaugurou, em junho, em Itápolis, no interior paulista, uma das maiores biofábricas do mundo, fruto de um investimento de US$ 100 milhões. A unidade vai produzir 3,6 milhões de mudas de cana-deaçúcar, chamadas de Plene. A muda tem cerca de cinco centímetros, enquanto as plantas convencionais medem até 50 centímetros. O potencial de receita é de US$ 500 milhões, e ela vai simplificar o plantio ao oferecer mudas tratadas contra doenças e pragas.

 

De casa nova

Será inaugurada até o fim deste ano a nova unidade de pesquisa da Embrapa Pesca e Aquicultura, em Palmas (TO), com investimento de R$ 12 milhões. Uma das missões do centro é buscar soluções no segmento aquícola, como a reprodução e no melhoramento de peixes, em Buritirana, no interior do Estado, um campo experimental de sistemas agrícolas integrados. Segundo Carlos Magno Campos da Rocha, chefe-geral da unidade, as experiências adquiridas no Estado serão levadas para o âmbito nacional. 

Como a unidade poderá contribuir para a aquicultura brasileira?
Com novas tecnologias e a transferência de inovações no campo experimental, teremos condições de levar conhecimento para os diferentes atores desta cadeia produtiva. 

De quanto é a produção aquícola brasileira e qual seu potencial para os próximos anos?
A produção aquícola brasileira é de 479 mil toneladas. Considerando apenas a área disponível para a produção em reservatório (1% da área de reservatório), poderíamos alcançar na produção de tilápias em torno de 4 milhões de toneladas por ciclo (de 6 a 8 meses).

Qual é o Estado que mais produz peixes no Brasil?
O Rio Grande do Sul, com 155 mil toneladas. São Paulo é o segundo, com 95 mil toneladas. Nos dois Estados, as espécies mais produzidas são a tilápia e a carpa.

Como está o cenário brasileiro de pesca e aquicultura?
O cenário é extremamente positivo, pois há um crescente aumento de consumo de peixes, tanto no mundo quanto no Brasil.

Tópicos

Mendes Ribeiro