• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias18/11/2021

Abrasce prevê alta de 19% nas vendas dos shoppings na Black Friday

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo18/11/21 - 18h51min

Com a Black Friday na próxima semana, os shoppings esperam um crescimento nominal de 19% nas vendas na comparação com a mesma data do ano passado, chegando a movimentar R$ 2,9 bilhões. O levantamento é da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce).

Mesmo se for considerada a inflação no período, que chegou a R$ 10,67%, o setor deve ter um resultado positivo nas vendas, de acordo com a associação. A expectativa é de crescimento real de 7% na comparação entre as mesmas datas.

Em média, cada consumidor deve gastar R$ 242, o que representa um valor 5,2% maior que os R$ 230 do ano passado.

Vale lembrar que, em novembro de 2020, os shoppings ainda tinham restrições em relação à quantidade de horas em que podiam ficar abertos, além de operar com capacidade reduzida de público. Hoje, praticamente todas as restrições já foram suspensas ao redor do País.

Já na comparação com a Black Friday de 2019 - antes de a pandemia chegar ao Brasil - a expectativa ainda é de queda nas vendas. O levantamento da Abrasce projeta um recuo nominal de 13%. Para o tíquete médio das compras, a previsão é de alta nominal de 4,3%.

O presidente da Abrasce, Glauco Humai, classifica como importante as perspectivas do setor para a Black Friday, pois demonstra que o varejo nos shoppings está em plena recuperação.

As vendas dos shoppings no Dia dos Namorados, em junho, e no Dia dos Pais, em agosto, tiveram baixas de 23% e 15%, respectivamente, na comparação com as mesmas datas de 2019. Isso mostra que os números do mercado em geral ainda estão inferiores aos níveis pré-pandemia, mas vêm se aproximando dos patamares regulares.

A melhora tem sido resultado do avanço da vacinação do País, que reduziu as restrições para funcionamento dos shoppings e aumentou a confiança da população para circular.

"Muito mais que bons números, é uma perspectiva cada vez mais sólida de um crescimento contínuo no setor", afirmou o presidente da Abrasce, em nota. "Os lojistas e empresários estão animados com o crescimento nas vendas e com o retorno da população. A Black Friday é um bom termômetro para as vendas de fim de ano e 2022".

Segundo o levantamento da Abrasce, os lojistas devem oferecer descontos na ordem de 40% nos produtos, mas em alguns casos os cortes nos preços podem alcançar até 70%.

As seguintes categorias devem ser destaques de vendas na Black Friday de 2021: eletrônicos, eletrodomésticos e vestuário.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
ABRASCE