Negócios

Agricultor paulista recebeu 1,41% mais por sua produção em janeiro, diz IEA

Crédito: Arquivo / Embrapa

Em janeiro de 2020, subiram os preços do milho, trigo e algodão (Crédito: Arquivo / Embrapa)

São Paulo, 15 – Os produtores do Estado de São Paulo receberam em janeiro mais pelos seus produtos ante dezembro de 2020, informou o Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta), em nota. O Índice de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR) encerrou o primeiro mês do ano com alta de 1,41%. Tanto os produtos vegetais quanto os animais tiveram reajustes positivos, com avanços, respectivamente, de 1,71% e 0,63%.

Em janeiro de 2020, 11 dos 18 produtos analisados pelo IEA subiram de preços, entre eles milho (+13,81%), trigo (+13,78%) e algodão (+10,27%). Os maiores recuos ocorreram com banana nanica (-25,86%), amendoim (-14,96%) e arroz (-10,87%).

+ Produtores argentinos concluem plantio de milho, diz Bolsa de Cereais

No acumulado de 12 meses, o IqPR variou positivamente por nove meses seguidos, com porcentual acumulado de 36,01%, sendo que os produtos de origem animal subiram 44,42% e os de origem vegetal, 32,8%.

“Nesse período de análise, todos os produtos do levantamento tiveram reajustes. Banana nanica (116,56%), amendoim (106,59%) e soja (101,74%) foram culturas que apresentaram as maiores altas no campo paulista nos últimos 12 meses”, cita o IEA-Apta.

Veja também

+ Restaurante japonês que fez festa de swing lança prato chamado “suruba”
+ Cantor Ovelha abre frangaria em São Paulo com a ajuda de Ratinho
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mineral de Marte raro na Terra é achado na Antártida
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Atriz pornô é demitida de restaurante por causa de “cliente cristão”
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?