• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias02/09/2021

Araújo nega relação com Precisa e se exime por sobrepreço em compra de testes

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo02/09/21 - 17h14min

Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, o ex-secretário de saúde do Distrito Federal Francisco Araújo Filho negou conhecer o dono da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano, ou de qualquer representante da empresa. "Não conheço os donos da Precisa. Nunca tive relação ou contato com pessoas, donos ou empresários da empresa", disse Araújo. O ex-secretário também se defendeu das acusações de compras com sobrepreço de testes contra covid durante sua atuação na secretaria de saúde do DF.

Araújo, que presta depoimento hoje à CPI, foi preso em agosto de 2020 durante a Operação Falso Negativo. A investigação abarcou ilicitudes na aquisição de testes rápidos para detecção da covid-19 para a rede pública de saúde local. A compra teria o envolvimento da empresa Precisa Medicamentos. Sobre a operação Falso Negativo, Araújo declarou que ainda irá "provar" ao Tribunal de Contas da União (TCU) durante sua gestão.

O depoente afirmou, com relação às acusações de superfaturamento de compras dos testes para covid pelo valor de R$ 180, oferecido pela loja da Luna Park Brinquedos - enquanto o valor máximo observado até então era de R$ 110 -, que isso ocorreu no devido processo licitatório. Segundo ele, o preço do insumo teria aumentado devido à disponibilidade de testes nas outras empresas participantes do processo.

"Eu irei recorrer e mostrar ao TCU que a empresa que tivesse testes para entregar naquele momento tinha contrato fechado", afirmou.

O senador José Reguffe (Podemos-DF) apresentou informações de uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) que aponta indícios de irregularidades na escolha de uma empresa de brinquedos para aquisição de testes para detectar covid-19. Araújo se defendeu afirmando que a empresa cuja razão social tinha como objetivo a produção de brinquedos também tinha aptidão para vender testes.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
COVID