Notícias

Área plantada em 2019/20 deve diminuir 1,9% com atraso de chuvas no MA

A SLC Agrícola, uma das maiores produtoras mundiais de grãos e fibras, divulgou por meio de Fato Relevante, que a área plantada na safra 2019/20 deve apresentar queda de 1,9%, em relação à safra anterior, por causa do atraso do início das chuvas no Estado do Maranhão, “o que postergou o plantio da soja, reduzindo o potencial de plantio de milho safrinha”.

Conforme o comunicado, a área total plantada pela SLC Agrícola em 2019/20 deve atingir 449,5 mil hectares, em comparação com 458 mil hectares em 2018/19.

A soja, principal cultura semeada pela empresa (52,5%), deve atingir cerca de 236 mil hectares (queda de 3% ante 243,1 mil hectares).

O algodão, que representa 28,1% do total, deve crescer 2%, de 123,7 mil hectares para 126,2 mil hectares.

Já o milho (segunda safra, de inverno), que corresponde a 18,2% do total, deve ocupar 81,7 mil hectares, queda de 8,5% em comparação com a safra anterior (89,3 mil hectares)

Segundo a empresa, os custos por hectare orçados para a safra 2019/20 apresentam aumento médio, em reais, de 5,8% em relação ao realizado da safra 2018/19, “basicamente em função da desvalorização do real frente ao dólar no período,
visto que aproximadamente 55% dos custos são dolarizados”. O custo médio total passou de R$ 4.130 o hectare para R$ 4.368/hectare.

A soja teve elevação de 9,8% no custo de produção, de R$ 2.643 o hectare em 2018/19 para R$ 2.901/hectare em 2019/20. O algodão (primeira safra) deve apresentar aumento de 1,1% no custo entre os dois períodos, de R$ 8.304/hectare para R$ 8.397/hectare. O algodão de segunda safra teve elevação de 4,6% no custo de produção, de R$ 7.385/hectare para R$ 7.727/hectare. Já o custo de produção do milho segunda safra deve ter forte alta de 12%, de R$ 2.152/hectare para R$ 2.410/hectare.

A SLC Agrícola esclarece que “as estimativas de produtividade para a nova safra seguem a linha de tendência, e portanto, incorporam os ganhos relevantes obtidos nos últimos anos”.

O rendimento da soja deve aumentar 2,3%, de 3.525 kg/hectare para 3.607 kg/ha. A produtividade do algodão (primeira safra) deve registrar crescimento de 6,2%, de 1.749 kg/ha para 1.858 kg/ha. O algodão de segunda safra deve render 6,8% mais, de 1.621 kg/ha para 1.731 kg/ha. O milho (segunda safra) pode ter produtividade de 7.220 kg/ha na safra 2019/20, aumento de 6% em comparação com o período anterior (6.814 kg/ha).

A posição atualizada de hedge cambial total da empresa para 2019 é de 99,7%, com o dólar a R$ 3,7032. Para 2020, o hedge cambial está em 64,9%, com o dólar a R$ 4,0284.