Porteira Aberta

As super sementes da Epamig

Crédito: Divulgação

No mês passado, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), abriu um edital para iniciar a venda de três cultivares de sementes de feijão transgênico aos produtores. Elas foram batizadas de Madrepérola, Majestoso e Ouro Negro e são de alta produtividade. As sementes foram desenvolvidas por meio do Programa de Melhoramento do Feijão, criado na década de 1970. Na safra passada, Minas Gerais, que é o segundo maior produtor do País, colheu 536 milhões de toneladas, atrás apenas do Paraná. As cultivares de alta produtividade, e ciclo de 77 a 90 dias, foram testadas em cerca de 43 ambientes diferentes.

CONAB
Agricultura transparente

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que já dispõe de tecnologia para acompanhar os programas do órgão, ganhou mais transparência. Desde o mês passado, é possível acompanhar todos os projetos do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) em tempo real. O programa se destina à compra de alimentos de agricultores familiares de todo o País. A partir de agora, com a ferramenta de consulta, é possível saber no mesmo dia da transação as quantidades de alimentos entregues pelos agricultores e os valores pagos para cada fornecedor.

PECUÁRIA
Parceiros no conhecimento

A Scot Consultoria, de Bebedouro (SP), que pertence ao empresário Alcides Torres, e a Embrapa Pecuária Sudeste, unidade de São Carlos (SP) assinaram, em maio, um acordo de cooperação técnica. A consultoria fornecerá informações de mercado sobre pecuária de corte e de leite. Além disso, estão previstas palestras e treinamentos de ambas as partes. Dentre os projetos da Embrapa, contemplados na parceria, estão o Bifequali TT, para a capacitação de técnicos extensionistas, o Balde Cheio, que visa a transferência de tecnologia sustentável para a pecuária leiteira, e ILPF para o sistema de Integração Lavoura Pecuária Floresta. Na mesma ocasião, foi inaugurado o Centro de Manejo Racional para Bovinos de Corte, na unidade de Embrapa.

AGRICULTURA
Texel monitorado do pasto ao prato

Divulgação

A cabanha Texel Gran Reserva, que tem como um dos sócios o criador Francisco Feio Ribeiro Filho, do grupo Ribemar, de Maringá (PR), fechou uma parceria com a TÜV Rheinland Brasil, subsidiária do grupo alemão de certificação. A TÜV criou para o produtor o Programa Texel Certificado, com o qual ele pretende impulsionar o mercado de ovinos destinados ao abate no Estado, depois de confinados. Hoje, o Paraná possui 835 mil ovinos, 3,5% do rebanho nacional. A certificação será realizada em toda a cadeia, indo da criação até as auditorias em unidades frigoríficas. A TÜV já possui conhecimento na área, pois é dela as auditorias dos programas Carne Angus Certificada, Carne Wagyu Certificada e Cordeiro Baby Black.

ANGUS
O Acre no mapa da carne

Eduardo Rocha

A Associação Brasileira de Angus (ABA) deu início ao Programa Carne Angus no Estado do Acre. O primeiro abate, de 580 animais, aconteceu na unidade da JBS, em Rio Branco, no dia 4 de maio. Do total de animais, todos cruzados com nelore, 70,3% tiveram suas caraças certificadas. “Os produtores foram chamados para conhecer o processo, mas o índice de classificação pode ser comparado ao de tradicionais regiões do País,” diz Fábio Medeiros, gerente do programa Carne Angus. No ano passado, foram abatidos cerca de 500 mil animais, em oito Estados.

Brasil e nova zelândia
Hora de cooperar

GENÉTICA BOVINA
Do Brasil para o mundo

Em maio, dois novos mercados para o comércio de genética bovina foram abertos ao Brasil, depois de longas negociações entre as autoridades sanitárias. A partir de agora, os criadores brasileiros podem vender sêmen e embriões para Ruanda, na África. O continente tem demanda por raças zebuínas, como o gir leiteiro, por exemplo. AArgentina passou a permitir a importação de embriões in vitro. A possibilidade de comércio entre os dois países pode fortalecer os negócios entre criadores de raças taurinas, como a angus e a hereford.

SOJA
Sai pra lá ferrugem

Divulgação

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), e a Aprosoja Brasil, criaram o Grupo de Trabalho Antirresistência Latino-americano (GTA-Latam), no dia 4 de maio. Com a iniciativa, as Aprosojas convidaram nove entidades para comporem um fórum de discussão de estratégias de defesa sanitária para barrar o avanço da ferrugem asiática nas regiões de fronteira do País com o Paraguai e a Bolívia. A ferrugem é uma das principais pragas da soja, com perdas da cerca de 30% das lavouras atacadas. Atualmente, são 3,2 milhões de toneladas perdidas para a doença. E não fica barato: em 2015, o País gastou US$ 360 milhões para controlar a praga. “Essa ameaça precisa ser transposta de maneira conjunta”, diz Endrigo Dalcin, presidente da Aprosoja-MT.

ILPF
Amazônia sustentável

Para recuperar pastagens degradadas, aumentar a produtividade e promover a sustentabilidade da pecuária no Estado do Amazonas, a Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), fecharam uma parceria de cooperação técnica com a Embrapa Amazônia Ocidental. O objetivo é pesquisar e transferir tecnologia de sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). A assinatura aconteceu no dia 17 de maio. A cooperação se dará por meio da implantação de unidades de referência em municípios do Baixo Amazonas e Sul do Estado, regiões nas quais a pecuária já está presente, como Ipixuna, Guajará e Boca do Acre.

 

LOGÍSTICA
Terminal turbinado

Divulgação

A trading americana Archer Daniels Midland Company (ADM) concluiu, em maio, as obras de modernização de seu terminal de exportação de grãos no porto de Santos (SP). A companhia, que completa 20 anos de Brasil em 2017 e tem licença para operar o terminal até 2037, investiu R$ 280 milhões na ampliação da capacidade de carregamento e descarregamento da unidade. Ela passou de 172 mil toneladas, para 194 mil toneladas. Agora, a previsão é elevar as exportações anuais de 6 milhões de toneladas para 8 milhões.

BIODIESEL
Combustível Social vai em frente

Divulgação

No mês passado, o Selo Combustível Social foi conferido à 38ª unidade de produção de biodiesel em atividade no País. O selo é parte do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB), conduzido por uma comissão executiva interministerial, na qual está a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead). Desde o início, o foco da Olfar Alimento e Energia está nos pequenos produtores. Hoje, a empresa compra a matéria-prima de 5 mil famílias. A unidade certificada fica no município de Porto Real (RJ), onde produz 378 milhões litros de biodiesel. Outros 620 milhões saem de uma unidade gaúcha, origem da empresa que fatura R$ 1 bilhão por ano.

CARNE
Devon certificado

Divulgação

Neste mês está nascendo mais um programa de carne certificada, desta vez coordenado pela Associação Brasileira dos Criadores de Devon, raça de origem britânica com criatórios concentrados no Sul do País. O lançamento do programa Carne Devon Certificada, apresentado na convenção brasileira da raça, em Gramado (RS), realizou o primeiro abate oficial no mês passado, no frigorífico São João, em São João do Itaperiú (SC). Os produtores que aderirem ao projeto, e terem seus animais classificados para a venda de carne com o selo da entidade, contarão com uma bonificação de até 10% sobre o preço da arroba.