• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias16/08/2021

Atualização: Susep libera banco digital Cactvs, para operar após pendências

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo16/08/21 - 17h30min

Att. Srs. Assinantes,

A nota enviada em 29/04 foi atualizada com o registro perante a SUSEP. Segue nota:

A Superintendência de Seguros Privados (Susep) liberou o banco digital Cactvs, do ex-vice-presidente do IRB Brasil Re, Fernando Passos, a operar com a distribuição de apólices no Brasil no dia 28 de abril. A corretora do grupo estava impedida de atuar desde 23 de abril.

A suspensão se deu por erros no sistema. O cadastro da corretora junto à Susep foi alterado por conta de um problema no formato do envio de documentos à autarquia, segundo fontes.

A Cactvs corretora de seguros estava com cadastro ativo desde o dia 15 de junho do ano passado. No dia 23 de abril, seu status foi alterado por conta da pendência de documentos. Já no dia 28 do mesmo mês, a Susep o atualizou novamente, liberando a corretora para operar com a venda de apólices no Brasil.

O braço de seguros é um dos novos negócios de Passos, envolvido no escândalo de fraudes milionárias no IRB Brasil Re. Enquanto aguarda o desfecho de processos durante sua gestão, inclusive na esfera criminal, ele montou no fim do ano passado a Cactvs, uma espécie de banco digital voltado a microempreendedores nas regiões Norte e Nordeste.

Passos, que estava à frente da área de finanças, é visto como peça-chave no esquema de fraudes contábeis, que custaram mais de R$ 30 bilhões em valor de mercado para o IRB na Bolsa. O imbróglio do ressegurador começou com uma carta da gestora carioca Squadra e envolveu também informações falsas relacionadas à Berkshire Hathaway, do megainvestidor Warren Buffett.

O caso gerou investigações internas, do Ministério Público e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), além de fiscalização especial da Susep.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
banco digital