Negócios

Biosev reverte prejuízo e tem lucro (ex-IFRS 16) de R$ 436,3 milhões no 2º tri

Crédito: Reprodução/Biosev

O resultado representa reversão sobre os R$ 288,215 milhões de prejuízo de igual período do ciclo anterior, também ajustado ex-IFRS (Crédito: Reprodução/Biosev)

São Paulo, 13 – A Biosev, braço sucroenergético do Grupo Louis Dreyfus, reportou lucro líquido (ex-IFRS 16) de R$ 436,3 milhões no segundo trimestre do ano-safra 2020/2021 (2t21), entre julho e setembro deste ano. O resultado representa reversão sobre os R$ 288,215 milhões de prejuízo de igual período do ciclo anterior, também ajustado ex-IFRS. No primeiro semestre da safra, o lucro líquido foi de R$ 155,5 milhões, ante prejuízo de R$ 451,9 milhões nos mesmos seis meses do ano anterior.

“Os resultados foram impactados principalmente pelo aumento do resultado operacional, influenciado pelo melhor desempenho operacional, da receita líquida e por maiores ganhos na liquidação e marcação a mercado de posições em derivativos, parcialmente compensados pela variação cambial”, informou a empresa em comunicado.

+ Biosev tem prejuízo de R$ R$ 280,8 mi no 1º tri da safra 2020/21
+ Biosev tem prejuízo de R$ 1,08 bilhão no 4º trimestre da safra 2019/20

A receita líquida da companhia (ex-HACC) cresceu 92,25% na mesma base de comparação trimestral, de R$ 1,552 bilhão no 2tri20 para R$ 2,984 bilhões no 2tri21. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado ex-revenda/HACC totalizou R$ 885,548 milhões no segundo trimestre do ano-safra 2020/2021, alta de 26,61% sobre igual período da safra passada, de R$ 699,429 milhões.

Levando em conta o primeiro semestre de 2020/21, a receita líquida ex-HACC teve avanço de 27,1% ante o mesmo período da temporada 2019/20, para R$ 3,3 bilhões; e o Ebitda ajustado ex-revenda/HACC avançou 20,8%, para R$ 3,3 bilhões.

A dívida bruta em 30 de setembro deste ano estava em R$ 7,640 bilhões, alta de 25,8% em comparação com os R$ 6,073 bilhões de igual data de 2019. Na mesma comparação, a dívida líquida cresceu 23,9%, para R$ 6,959 bilhões. A alavancagem medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda da Biosev caiu de 3,10 vezes, para 2,84 vezes entre os trimestres na comparação anual.

A Biosev investiu um total de R$ 441,244 milhões no primeiro semestre de 2020/21, 7,0% a mais que em igual período da safra passada. Do capex total, R$ 428,838 milhões foram investidos nas operações, alta de 11,1% na mesma base de comparação. A companhia realiza teleconferência nesta sexta-feira (13), às 12 horas, para detalhar os resultados.

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro