• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias05/07/2022

Bolsas da Europa fecham em queda, com risco de recessão e tombo do euro

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo05/07/22 - 13h18min

As bolsas da Europa fecharam em queda de mais de 2% nesta terça-feira, 5, depois que dados negativos ampliaram os temores de recessão na região e derrubaram o euro ao menor nível em quase duas décadas ante o dólar.

O índice Stoxx 600, que reúne as principais empresas de capital aberto listadas na região, encerrou a sessão em baixa de 2,11%, a 400,68 pontos.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto do Reino Unido teve inesperada alta em junho, de acordo com a S&P Global. O mesmo indicador, no entanto, caiu na Alemanha e na zona do euro. Para a Capital Economics, o resultado sugere contínuas pressões inflacionárias e redução do crescimento econômico. "Os PMIs compostos finais de junho confirmaram a mensagem do comunicado de que a atividade está diminuindo e que as empresas esperam condições mais fracas à frente", avalia.

Os dados ajudaram a levar o euro às mínimas desde dezembro de 2002, a US$ 1,0260 por volta 12h (de Brasília).

Em relatório sobre condições financeiras, o Banco da Inglaterra (BCE) afirmou que as perspectivas se "deterioraram materialmente" no mundo, após a guerra entre Rússia e Ucrânia alimentar pressões inflacionárias. Para o BC britânico, os desequilíbrios podem enfraquecer ainda mais o crescimento e provocar estresse nos mercados.

O bloco está particularmente exposto a dúvidas sobre a política energética em meio a turbulências no fornecimento de gás natural. O preço da commodity disparou hoje, depois que a Equinor, da Noruega, fechou temporariamente três campos de petróleo e gás onde trabalhadores entraram em greve, em desdobramento que intensifica os problemas regionais de abastecimento.

Nesse cenário, o índice FTSE 100, referência na Bolsa de Londres, caiu 2,86%, a 7.025,47 pontos. O tombo das commodities penalizou sobretudo as ações das petroleiras Shell (-8,49%) e BP (-7,01%), além das mineradoras Anglo American (-8,27%) e Antofagasta (-7,90%).

Em Frankfurt, o índice DAX perdeu 2,91%, a 12.401,20 pontos, enquanto em Paris, o CAC 40 baixou 2,68%, a 5.794,96 pontos. Já em Milão, o FTSE MIB se desvalorizou 2,99%, a 20.705,06 pontos.

Nas praças ibéricas, o PSI 20, de Lisboa, caiu 2,89%, a 5.879,42 pontos. Em Madri, o IBEX 35 cedeu 2,48%, a 7.959,40 pontos, de acordo com cotação preliminar.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
BOLSAS DE VALORES