• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias25/01/2022

Bolsas da Europa fecham na maioria em alta, com impulso parcial do petróleo

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo25/01/22 - 14h57min

As bolsas da Europa fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, 25, em um movimento de recuperação parcial das perdas registradas recentemente. Investidores seguem monitorando questões geopolíticas na Ucrânia e se preparam para decisão monetária do Federal Reserve (Fed), o banco central da maior economia do mundo, a ser divulgada amanhã. A alta nos preços do petróleo ajudou a impulsionar os negócios.

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou a sessão com ganho de 0,71%, a 459,59 pontos.

Apesar dos avanços de hoje, os principais índices europeus ainda apresentam recuos significativos em relação a última sexta-feira. O FTSE 100, em Londres, fechou com alta de 1,02%, a 7.371,46 pontos. O avanço dos preços de petróleo sustentou os papéis do setor no mercado britânico, com Royal Dutch Shell (+3,67%) e BP (+4,27%) em destaque.

Analista do CMC Markets, Michael Hewson afirma que o progresso do mercado acionário europeu tem sido difícil em meio às notícias de um potencial conflito com a Rússia, com os Estados Unidos preparando 8,5 mil militares para apoio à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) próximo à Ucrânia. Na avaliação do analista, os mercados do Velho Continente parecem estar encarando a situação com maior calma do que os americanos.

Ainda em Londres, a ação da Unilever recuou 0,19% nesta sessão. De acordo com a Associated Press, a companhia pretende demitir 1,5 mil funcionários como parte de sua reestruturação. No mundo, a empresa conta com cerca de 149 mil empregados.

Em Frankfurt, o índice DAX subiu 0,75%, a 15.123,87 pontos. Por lá, repercutiu o inesperado avanço do índice de sentimento das empresas da Alemanha em janeiro, de acordo com o Instituto IFO.

O índice CAC 40, referência em Paris, avançou 0,74%, a 6.837,96 pontos. Os bancos se destacaram no índice francês, com BNP Paribas (+3,26%), Société Générale (+3,15%) e Crédit Agricole (+1,65%) entre os principais ganhos.

Já em relação ao Banco Central Europeu (BCE), o economista-chefe e membro do conselho, Philip Lane, disse, em entrevista, que o banco terá que reagir caso a inflação fique acima de 2% por "algum tempo". Em relatório, o Deutsche Bank prevê que a primeira alta de juros básicos pelo BCE virá antes e será maior do que o antecipado. Paralelamente, operadores ao redior do globo se posicionam para a decisão monetária do Fed, nesta quarta-feira.

Em Milão, o FTSE MIB subiu 0,22%, a 26.028,89 pontos, e em Madri, o IBEX 35 avançou 0,73%, a 8.479,50 pontos, de acordo com dados preliminares. Já em Lisboa, o PSI 20 recuou 0,38%, a 5.408,58 pontos.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
BOLSAS DE VALORES