• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias24/01/2022

Bolsas de NY fecham em alta e revertem queda forte de parte do pregão

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo24/01/22 - 18h44min

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta segunda-feira, 24, com reação na reta final do dia, após uma sessão em grande medida marcada pela aversão a risco. Com as perspectivas para aperto monetário pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) na reunião da próxima quarta-feira e a escalada de tensões entre Rússia e Ocidente em virtude de uma potencial ação militar na Ucrânia, os papéis foram pressionados em boa parte do dia, com o Nasdaq chegando a recuar mais de 4%, mas houve espaço para uma reviravolta.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,29%, aos 34.364,50 pontos, o S&P 500 avançou 0,28%, aos 4.410,13 pontos, e o Nasdaq teve alta de 0,63%, a 13.855,13 pontos.

O Market Watch qualificava a reviravolta das bolsas no dia de hoje como "histórica". Após repetidas mínimas e quedas robustas no meio do pregão, vários setores fecharam no positivo, entre eles energia, tecnologia, consumo discricionário, serviços de comunicação e indústria.

Neste mês, porém, o S&P 500 recua 7,47%. Mais cedo nesta segunda-feira, a liquidação ganhou força à medida que as tensões geopolíticas com a Rússia continuam a aumentar e é "difícil separar a resposta dos investidores à situação da Ucrânia da apreensão geral, à medida que o Fed se prepara para remover os estímulos", aponta análise do BMO Capital.

As ações observam ainda a temporada de balanços. Depois de publicar na semana passada resultados com perspectivas vistas como negativas, Netflix caiu nesta segunda 2,60%, com perda superior a 35% neste ano.

Já a IBM recuou 0,41%, com expectativas pela divulgação de seus resultados após o fechamento dos mercados. Entre outras quedas de destaque e com números a serem divulgados nos próximos dias, Tesla (-1,47%) e Apple (-0,49%) recuaram. Já Microsoft reagiu na reta final, em alta de 0,11%, enquanto Alphabet também subiu (0,35%).

Na visão da Capital Economics, há poucas razões para pensar que as big techs se tornarão um empecilho desproporcional para os índices, se o sentimento continuar a azedar. "As big techs não foram poupadas na derrota do mercado de ações de 2022, que ganhou muito mais impulso em parte do dia de hoje. Mas o desempenho anterior em relação ao restante do Nasdaq e do S&P 500 foi, no entanto, impulsionado principalmente por lucros e não por avaliações", diz a consultoria.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
BOLSAS DE VALORES