Negócios

BrasilAgro: lucro líquido no 1º trimestre 2020/21 cresce 86,5%, para R$ 75,65 mi

Crédito: Divulgação

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado cresceu 18,8% entre os períodos (Crédito: Divulgação)

São Paulo, 5 – A BrasilAgro, líder na aquisição, desenvolvimento e venda de propriedade rurais com alto potencial de valorização, registrou lucro líquido de R$ 75,65 milhões no primeiro trimestre da safra 2020/21 (julho a setembro), representando aumento de 86,5% em comparação com igual período da safra anterior 2019/20 (R$ 40,576 milhões).

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado cresceu 18,8% entre os períodos, passando de R$ 57,44 milhões para R$ 68,24 milhões. O resultado reflete receita líquida de vendas de R$ 229 milhões no primeiro trimestre de 2020/21, composta por R$ 6,8 milhões de venda de fazendas e R$ 222,2 milhões de vendas de produtos agrícolas. Esse desempenho em receita corresponde a um aumento de 23,8% em relação ao mesmo período do ano anterior 2019/20 (R$ 184,98 milhões).

+ Safra 2020/21 será muito mais rentável que a de 2019/20, diz Brasilagro
+ BrasilAgro anota lucro líquido de R$ 119,6 mi em 2019/20, queda de 32% em 1 ano

Para a safra 2020/2021, a BrasilAgro deve operar uma área de 155,2 mil hectares no Brasil e no Paraguai que, mesmo com a venda de 3,2 mil hectares no exercício passado e o encerramento de contratos de arrendamento, aumentou 1,3% em relação à safra anterior. A produção de grãos (soja, milho e feijão) deve atingir 340 mil toneladas, aumento de 7,9% ante 2019/20 (315 mil t), além de 1,9 milhão de toneladas de carne.

Até o momento, a companhia já entregou 1,8 milhão de toneladas de cana-de-açúcar da safra 2020. Até o encerramento da colheita, a BrasilAgro deve entregar mais 439,3 mil toneladas, totalizando 2,2 milhões de toneladas colhidas.

A BrasilAgro destaca, ainda, que no dia 16 de outubro foi aprovada em Assembleia Geral Ordinária a distribuição de R$ 42 milhões em dividendos, equivalentes a R$ 0,71 por ação, gerando uma rentabilidade dos dividendos de 3,2%.

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro

Tópicos

BrasilAgro lucro