• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Economia18/01/2022

Café/Conab: 1ª estimativa para safra 22 indica produção de 55,7 milhões de sacas

O aumento já era esperado por causa da temporada anterior ser de bienalidade negativa para a cultura

O aumento já era esperado por causa da temporada anterior ser de bienalidade negativa para a cultura

(Créditos: Arquivo / Embrapa)
Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo18/01/22 - 10h30min - Atualizado em 19/01/22 - 11h27min

São Paulo, 18 - Os produtores de café deverão colher este ano a terceira maior safra do grão da história. A produção esperada é de 55,7 milhões de sacas de 60 quilos que, caso confirmada, representa um acréscimo de 16,8% em comparação com 2021 (47,72 milhões de sacas). O aumento já era esperado por causa da temporada anterior ser de bienalidade negativa para a cultura. O resultado só não é melhor que os desempenhos registrados nos anos de 2020 e 2018, as duas últimas safras de bienalidade positiva, informa a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que divulgou hoje a primeira estimativa para a safra 2022 de café.

Segundo a estatal, a queda na produção neste ano, quando comparada com 2020, é reflexo das condições climáticas adversas registradas principalmente entre os meses de julho e agosto em 2021. A estiagem e as geadas ocorridas com maior intensidade nos Estados de Minas Gerais, São Paulo e Paraná, provocando impacto nas condições fisiológicas dos cafezais.

+ Café/Secex: exportação total em dezembro cai 17,2%; para 3,586 milhões de sacas

A produtividade média nacional prevista é de 30,6 sacas por hectare, número 16,1% maior em relação à safra anterior. Em virtude de intempéries climáticas como estiagem e geadas ocorridas em algumas regiões produtoras de destaque de produção, a cultura não alcançará o potencial produtivo esperado. Ainda assim, a produção para esta variedade de café deverá ser acrescida em 23,4% em relação à safra anterior, sendo estimada em 38,7 milhões sacas.

Já para o robusta (conilon), a expectativa é de um novo recorde com a colheita podendo chegar próxima a 17 milhões sacas. O aumento de 4,1% em relação à safra anterior combina a elevação da área plantada estimada em 3%, passando de 375,2 mil hectares para 389,1 mil ha, e uma ligeira melhora na produtividade de 0,4%, saindo de 43,4 sacas colhidas por hectare cultivado para 43,6 sacas por hectare.

De acordo com o levantamento da Conab, a área destinada à cafeicultura, quando consideradas as duas variedades, totaliza 2,23 milhões de hectares, representando acréscimo de 1,7% sobre o ciclo anterior. Considerando apenas as lavouras em produção, o índice fica próximo da estabilidade e soma 1,824 milhão de hectares, em relação ao período anterior.

Em contrapartida, a área de formação deverá ter acréscimo de 6,4%, alcançando 416,7 mil hectares. Se compararmos com 2020, último ano de bienalidade positiva, o crescimento para as áreas que não registram produção atinge 50%. "Esse elevado aumento da área em formação mostra os efeitos das condições climáticas adversas registradas no ano passado. A estiagem e as baixas temperaturas exigiram um manejo de poda mais intenso, conduzindo uma área significativa de café para produção somente na safra 2023 ou 2024", informa em nota o diretor de Política Agrícola e Informações da Companhia, Sergio De Zen.

A primeira estimativa para a temporada 2022 em Minas Gerais, que responde por quase metade da safra nacional, é de produção na ordem de 26,997 milhões sacas de café beneficiado, sendo a grande maioria do tipo arábica. Tal projeção representa aumento de 21,9% em comparação com o total colhido na temporada passada.

No Espírito Santo, maior produtor nacional de robusta, a safra total deve atingir 15,85 milhões de sacas. Desse total, 11,6 milhões de sacas são de robusta (+3,4% ante 2020) e 4,25 milhões de sacas de arábica (+44,3% ante o ano passado).

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
café agricultura