Evento

Campanha que valoriza cachaça como símbolo nacional vence prêmio de publicidade

Campanha que valoriza cachaça como símbolo nacional vence prêmio de publicidade

O Instituto Brasileiro da Cachaça (IBRAC), em parceria com a Diageo, venceu o Prêmio Desafio Estadão Cannes com o case “Cachaça: Símbolo Nacional”. A campanha impactou mais de 30 milhões de pessoas e gerou manifestações de dez presidenciáveis sobre como eles apoiariam o destilado caso fossem eleitos.

De acordo com Carlos Lima, diretor executivo do IBRAC, o prêmio é um reconhecimento da relevância da Cachaça no cenário nacional e do potencial do destilado verde e amarelo. A campanha incluiu o lançamento do Manifesto da Cachaça, que dá visibilidade à algumas iniciativas necessárias para o desenvolvimento do setor, como a promoção e proteção internacional da Cachaça, como produto exclusivo e genuinamente brasileiro; a necessidade da reavaliação da carga tributária, e o combate à clandestinidade e à informalidade.

O manifesto fez parte de uma série de ações que tiveram seu ápice no evento “Cachaça: Símbolo Nacional”, que reuniu produtores, associações, representantes do governo e apreciadores da bebida, com o apoio institucional da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e Cachaça Trade Fair.

Como parte da campanha, foram consultados dez presidenciáveis. A equipe de campanha de Jair Bolsonaro reiterou o apoio ao desenvolvimento sustentável e responsável do destilado e comparou que o Brasil deve fazer com a Cachaça o que o Reino Unido fez com whisky e o México com a tequila.

Segundo manifestação enviada na ocasião pela equipe de campanha do então candidato, são vários os países que protegem, incentivam, estimulam e prestigiam seus destilados como parte de sua herança cultural. A manifestação também destaca que conhaque, whisky, tequila eram bebidas “populares” e desprestigiadas e que conseguiram agregar enorme valor ao produto quando explicitaram seu peso cultural, associando seu consumo a imagem do país. Isso sofistica o produto, gera oportunidades, riqueza e empregos. O texto reforça ainda que a associação de tais produtos, como a Cachaça, ao Brasil seria muito positiva, pois o “soft power” do país é excelente.

“Esse prêmio é só uma demonstração do lugar onde a Cachaça merece estar, pois a nossa jornada continua na conquista de corações e mentes, pois valorizar a Cachaça é investir no Brasil. Cachaça é Brasil”, finaliza Carlos Lima.