Geral

Cientistas de Israel usam resíduos para criar etanol

Crédito: Pexels

O método desenvolvido em um estudo conjunto com o professor Yoram Gerchman, da Universidade de Haifa, usa pequenas quantidades de ozônio em diferentes produtos residuais (Crédito: Pexels)

Um grupo de cientistas israelenses desenvolveu uma técnica simples e de baixo custo para produzir etanol de resíduos vegetais tratados com ozônio. Desta maneira, será possível contribuir para o aumento da demanda por álcool para uso médico, devido à pandemia de coronavírus.

A professora Hadas Mamane, da Universidade de Tel Aviv, e sua estão no projeto há cinco anos equipe trabalham nos últimos cinco anos na reciclagem de resíduos e na sua transformação em álcool, segundo o site Noticias de Israel.

+ Produção de etanol nos EUA avança 1,5% na semana, para 914 mil barris/dia
+ Etanol continua competitivo ante gasolina em apenas em 4 Estados, diz ANP 

Hadas explica que há muito resíduos de papel de uma fábrica, um pouco de palha de um zoológico e grama coletada no município de Tel Aviv.

Normalmente o processo para produção de etanol de vegetais como a cana-de-açúcar ou milho exige um processo complexo e caro. Mas o método desenvolvido em um estudo conjunto com o professor Yoram Gerchman, da Universidade de Haifa, usa pequenas quantidades de ozônio em diferentes produtos residuais.

A professora da Universidade de Tel Aviv destaca que com sua pesquisa, é possível produzir etanol de maneira simples e ecológica, respeitosa com o meio ambiente, que não gera toxinas. Demora, aproximadamente, cinco dias para produzir álcool a partir de resíduos que passam pelo processo de ozonização e remoção de enzimas e conservantes.

 

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro