• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 183 30.11Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 183 30.11Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias08/07/2021

CMO adia leitura de relatório da LDO e aumenta chance de ‘recesso branco’

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo08/07/21 - 17h47min

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) decidiu adiar para a próxima segunda-feira, 12, a leitura e votação do relatório preliminar da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), inicialmente marcada para hoje, 8. Com o novo acordo, aumentam as chances de que o Congresso não entre em recesso formal. Se a LDO não for aprovada em plenário até o dia 17 de julho, o recesso formal - entre 17 e 31 de julho - terá que ser suspenso. Nessa situação, haveria o chamado "recesso branco", que permite o funcionamento de todas as estruturas do Legislativo, inclusive a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid.

Mais cedo, os parlamentares reclamaram que houve pouco tempo para discutir a LDO, uma vez que a comissão somente foi formalmente instalada ontem, 7. Assim, a presidente da CMO, senadora Rose de Freitas (MDB-ES), se reuniu com as lideranças e, em seguida, anunciou a suspensão da sessão de hoje, 8, até segunda-feira, 12, às 11h.

Na retomada da sessão, o relator, deputado Juscelino Filho (DEM-MA), deve fazer a leitura de seu parecer preliminar. A previsão é que a votação seja realizada em seguida.

A senadora afirmou ainda que o prazo para apresentação de emendas por parte dos deputados e senadores ao relatório final da LDO ficará aberto até quarta, 14, às 12h.

Já a votação do relatório final na comissão, inicialmente prevista para terça, dia 13, ainda não foi reagendada. Também não há previsão de data da apreciação do parecer pelo plenário.

Se a LDO for aprovada em plenário até o dia 17, o Congresso será obrigado a entrar em recesso, e os trabalhos da CPI teriam que ser interrompidos. Por isso, a oposição se movimenta para obstruir a LDO e evitar que isso ocorra, mantendo as sessões da CPI ao longo do mês de julho.

Nos bastidores, fontes admitem que a possibilidade de aprovação da LDO antes do dia 17 é remota, em razão do conteúdo da proposta e dos interesses e negociações entre governo, Centrão e oposição sobre o controle das verbas federais.

Entre os pontos que os congressistas devem se debruçar na LDO estão, a previsão de pagamento das emendas de relator-geral e as regras para liberação desses recursos, que passaram a ser estratégicos tanto para o Congresso quanto para os ministérios do governo. Além disso, a proibição de corte nas despesas obrigatórias sem justificativa técnica, prevista no projeto enviado pelo Executivo, é outro ponto polêmico.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais