• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias22/01/2022

CNBB, Comissão Arns, ABI, OAB e ciência formam frente pela vacinação de crianças

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo22/01/22 - 14h15min

Os presidentes da Ordem dos Advogados do Brasil, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e de outras entidades que integram o ‘Pacto pela Vida e pelo Brasil’ voltaram aos holofotes para conclamar governadores, prefeitos, mães, pais, familiares e professores a incentivar e acelerar a imunização de crianças contra a covid-19. O grupo critica o que chama de ‘circo da insensatez’ com tentativas de desacreditar as vacinas e frisa que ‘correto e inadiável’ fazer é imunizar as crianças, garantindo a proteção das mesmas contra o Sars-Cov-2.

"Não nos enganemos: a sociedade brasileira não vive dentro da bolha do negacionismo. Ela conhece muito bem a dura realidade, sente na pele os desafios, escuta o que diz a ciência e assim defenderá o direito à vacina infantil, contra o SARS-CoV-2", frisa o texto do intitulado ‘Pacto pela Vida das Crianças Brasileiras’.

O documento é assinado por Dom Walmor Oliveira de Azevedo, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, Felipe Santa Cruz, da Ordem dos Advogados do Brasil, José Carlos Dias, da Comissão Arns, Luiz Davidovich, da Academia Brasileira de Ciências, Paulo Jeronimo de Sousa, da Associação Brasileira de Imprensa; e Renato Janine Ribeiro, da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

O grupo frisa que o Brasil é reocnhecido internacionalmente por seu programa de imunização, destacando que "gerações cresceram atendendo às convocações para vacinações diversas e assim foi possível controlar doenças que assombraram a população infantil e tantas famílias - entre elas, o sarampo e a poliomielite"

Nessa linha, as entidades argumentam que não se pode aceitar a ‘campanha de sabotagem’ em torno da vacinação pediátrica, ‘desprezando o direito à vida e à saúde de uma faixa etária com cerca de 69 milhões de brasileiros’. "É disso que se trata, em flagrante desrespeito à Constituição e ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)", destaca o grupo.

As entidades criticam ‘declarações enganosas’ de autoridades do governo, na ‘contramão’ do que tem sido feito pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pedem que os brasileiros formem um ‘cinturão de lucidez’ do combate à pandemia.

A imunização de crianças sofre resistência do presidente Jair Bolsonaro e seus aliados. O Ministério da Saúde anunciou a aplicação das vacinas na faixa etária de 5 a 11 anos 20 dias após a Anvisa aprovar o uso do imunizante Cominarty. Nesta semana, o órgão também autorizou a aplicação da Coronavac entre crianças e jovens de 6 a 17 anos.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
ABI