• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias15/12/2021

CNI estima alta de 1,2% no PIB em 2022 e de 0,5% para PIB Industrial

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo15/12/21 - 12h25min

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) prevê o desaquecimento da economia brasileira no próximo ano, mas o cenário-base da entidade não contempla uma nova recessão. De acordo com as projeções divulgadas há pouco, a CNI espera um crescimento de 1,2% no Produto Interno Bruto (PIB) em 2022, após uma recuperação estimada em 4,7% neste ano.

Depois de crescer a uma taxa projetada de 5,2% em 2021, o PIB industrial deve rodar abaixo da estimativa para a economia como um todo em 2022.

Para a CNI, o setor deverá crescer apenas 0,5% no próximo ano. A projeção para a Indústria de Transformação também é de alta de 0,5%, para a Indústria Extrativa a estimativa é de 2,0% e para a Indústria de Construção a previsão é de 0,6%.

"A atividade econômica também deve se beneficiar da normalização da demanda por serviços prestados às famílias, que ainda está abaixo do nível pré-pandemia, e alguns setores industriais, principalmente aqueles ligados a investimentos, como a cadeia da construção civil e de bens de capital, as quais ainda devem ter o nível de produção impulsionado por pedidos e projetos provenientes de 2021", avaliou o presidente da CNI, Robson de Andrade.

A entidade divulgou ainda outros dois cenários. No mais pessimista, o PIB cresceria apenas 0,3%. Já no cenário otimista, a expansão poderia chegar a 1,8% em 2022.

"A inflação elevada, com consequentes altas nas taxas de juros, o alto endividamento das famílias, o desemprego, a escassez de insumos e matérias-primas e os custos de energia em elevação são fatores conjunturais desfavoráveis. Além disso, ainda há incertezas sobre o andamento da pandemia e o temor de algum retrocesso, como ocorre atualmente na Europa", completou Andrade.

Outros indicadores

A CNI também divulgou projeções para as demais variáveis macroeconômicas. A entidade espera uma inflação de 5,0% em 2022, no teto da meta para o próximo ano. Já a taxa Selic, atualmente em 9,25% ao ano, deve chegar a 11,50% em dezembro de 2022. A taxa de desemprego deve continuar alta, em 13,00% na média do próximo ano.

O setor projeta que a taxa de câmbio média de 2022 ficará próxima da atual, em R$ 5,60. As exportações devem somar US$ 280 bilhões e as importações US$ 220 bilhões, culminando com um superávit na balança comercial de US$ 60 bilhões. Para o saldo de transações correntes, a CNI projeta um déficit de US$ 30 bilhões.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
CNI