• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 183 30.11Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 183 30.11Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias22/11/2021

Colnago: Permanência ou não do Auxílio é decisão política e depende de fonte permanente

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo22/11/21 - 20h42min

O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Esteves Colnago, disse nesta segunda-feira, 22, que uma eventual permanência do Auxílio Brasil é uma decisão política e depende de uma fonte permanente para ser viabilizado conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Segundo ele, com a aprovação da PEC dos Precatórios, há espaço dentro do teto, mas fiscalmente há um entrave. E reconheceu que a equipe econômica não tem ilusões de que não haverá pressão para que o benefício se torne permanente.

"Em passando a PEC, tem espaço estrutural no teto que pode ser usado. Na hora em que você abre R$ 106 bilhões e aloca R$ 51 bilhões para o programa, o espaço está aberto. O que nos falta para que o programa seja permanente é fonte permanente. Mas essa é uma questão fiscal. A outra questão é a de mérito, se vai ser permanente ou não", pontuou.

Segundo ele, mesmo a alternativa anterior trabalhada pelo governo, com a tributação de dividendos não seria capaz de garantir os R$ 400 desejados pelo Palácio do Planalto. "A parte da tributação sobre dividendos, na época, seria suficiente para chegar a R$ 300. Hoje tem que fazer os cálculos pra ver o que daria, porque uma parte da correção já foi feita pela inflação. Imagino que seria perto dos R$ 300 de novo, não sei se faz tanta diferença sim", disse, completando que, para os R$ 100 restantes, seria necessário ir atrás de outras fontes.

Colnago destacou ainda que o único caminho visto pela equipe econômica caso não haja a aprovação de uma nova fonte para garantir a permanência do Auxílio Brasil é pelo enxugamento de despesas e benefícios tributários. "(A reforma do Imposto de Renda) Se for aprovado, é uma fonte. Se não for, na visão da economia resta redução de despesa e de benefício tributário", disse. E completou que não gostaria de afastar a LRF para garantir uma fonte permanente para o auxílio.

O secretário ainda pontuou que o Ministério estima que conseguiria rodar uma folha suplementar para pagar o extra do Auxílio Brasil - que completa os R$ 400 - se a PEC for encaminhada até o dia 10 ou 15 de dezembro. Assim, primeiro seriam pagos os R$ 217 da correção do antigo bolsa família e o restante seria garantido depois. "É claro que a PEC evoluindo já daria mais segurança para o gestor se programar e permite que comece a adotar alguma providência", disse.

Carimbo

Colnago afirmou ainda que a equipe econômica é contrária à proposta de carimbar os recursos dentro da folga do teto, sugerida no Senado. "A Economia não gosta de criar mais engessamento. O Congresso tem competência e maturidade para alocar recursos. Pensando fiscalmente, ideal é que não tenha alocação, mas essa é decisão muito mais política do que técnica", disse.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais