Notícias

Com barreiras, São Sebastião registra morte por coronavírus em alto mar

Com bloqueios em seus acessos por terra e as praias fechadas por tapumes para barrar turistas devido ao novo coronavírus, a cidade de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, registrou nesta sexta-feira, 22, a morte de uma pessoa pela doença em alto mar. A vítima, um homem de 47 anos, estava em um barco de pesca com outros 23 pescadores e tripulantes, quando passou mal. A Marinha acionou o serviço municipal de emergência, mas o paciente morreu na madrugada de quarta-feira, 20. A causa da morte foi confirmada nesta sexta. Esse é o terceiro óbito pela doença na cidade, que tem 324 casos positivos.

De acordo com a prefeitura, o barco pesqueiro Águia Dourada IX, proveniente de Itajaí, litoral de Santa Catarina, estava a três horas da costa de São Sebastião, quando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado pela Marinha, às 23 horas de terça-feira, 19. Ao chegar para atendimento, os profissionais do Samu constataram que o tripulante tinha morrido e, como ele havia apresentado sintomas gripais, o caso foi tratado como suspeito da doença. “A equipe de saúde realizou todo procedimento recomendado para situações relacionadas à covid-19”, disse a prefeitura.

Como os demais tripulantes não apresentavam quadro de síndrome gripal ou outros sintomas, após videoconferência com a Marinha, Vigilância Epidemiológica e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), foi decidido pelo retorno do barco e tripulação para a cidade catarinense. Conforme a prefeitura, o barco de pesca partiu na quinta-feira, 21, com monitoramento da Marinha durante o trajeto.

Na tarde desta sexta, o capitão da embarcação informou ao município paulista que havia chegado a Itajaí e a tripulação estava se apresentando à equipe da saúde local para exames e isolamento. Em São Sebastião, o óbito foi registrado como o primeiro importado – os dois anteriores foram de moradores locais. A cidade instalou bloqueios nos acessos desde a quarta-feira para coibir a entrada de turistas, devido ao feriadão na capital. O acesso de veranistas está proibido em todas a praias – algumas estão fechadas com cercas e tapumes.