• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias09/09/2021

Consumo em supermercados cai 1,15% em julho ante julho de 2020, diz Abras

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo09/09/21 - 12h44min

O Índice Nacional de Consumo nos Lares Brasileiros (INC) teve queda de 1,15% em julho, na comparação com o mesmo período de 2020, informou nesta quinta-feira, 9, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). No acumulado do ano, de janeiro a julho, houve alta de 3,24% ante o mesmo período de 2020.

Na comparação de julho de 2021 com o mês anterior, há alta de 4,84%.

No que diz respeito a preços, a alta da Abrasmercado (cesta de 35 produtos de largo consumo) foi de 0,96% em julho, ante um aumento de 0,12% no mesmo mês de 2020.

No acumulado do ano, a alta de preços é de 5,29%.

O vice-presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Marcio Milan, disse que o aumento de preços é uma questão mundial e não só brasileira. No entanto, ele chama a atenção para o fato de que o aumento de preço de alguns produtos, como o arroz, começam a ser estudados pela associação.

Um estudo desenvolvido pela FIA mostrou que a produção desse alimento é voltada para o mercado interno no Brasil.

"Em 2017, tomou-se a decisão de não se ter mais os estoques reguladores", lembra Milan.

Ele afirma que sem essa possibilidade de regulação por parte do governo, preços ficam mais voláteis.

Milan disse ainda que se observa um aumento de marcas de produtos nos supermercados, o que aumenta a variedade preços e possibilita melhores negociações para os supermercados.

Projeções

O vice-presidente da Abras afirmou que a previsão de 4,5% de crescimento do setor em 2021 está mantida. Ele destacou que estão contabilizadas nessa previsão de alta anual para o setor uma recuperação econômica do País, avanço de reformas econômicas por parte do governo, bem como o apelo promocional do segundo semestre do ano.

Milan lembrou ainda que as empresas do setor têm mais inaugurações e investimentos que podem dar resultado nesta segunda metade de 2021.

Caso essas alavancas não se mostrem reais, o vice-presidente diz que a previsão de crescimento pode ser revista.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
Abras