Notícias

Correção: Bayer lança plataforma online de negociação de insumos e commodities

A nota publicada anteriormente continha uma incorreção no primeiro parágrafo sobre o nome da empresa com a qual a Bayer fará joint venture na plataforma Orbia. A joint venture na Orbia é entre Bayer e Bravium, e não Bravo, como havia sido informado. Segue o texto corrigido.

São Paulo, 17 – A Bayer lançou nesta quinta-feira duas novas iniciativas em agricultura digital, o novo programa de relacionamento Impulso, que substitui a rede Agroservice, e a plataforma de marketplace Orbia, uma joint venture entre Bayer e Bravium, que incluirá o programa de fidelidade, mas também compra de insumos e venda de commodities. O objetivo é dar uma opção de canal digital para essas operações, que produtores já fazem por meio físico.

“Temos 140 mil produtores na plataforma Agroservice”, disse o presidente da divisão CropScience da Bayer, Gerhard Bohne. A rede Agroservice hoje representa 65% da área plantada no Brasil. “Cada vez mais o agricultor está fazendo compras online. A geração nova quer praticidade e benefício”, disse o executivo. Segundo ele, com o Impulso Bayer, a empresa busca ampliar o relacionamento com o produtor e entender melhor as suas necessidades. O produtor terá uma classificação por estrelas, que dará acesso a produtos, serviços e experiências, como viagens internacionais.

Já a plataforma de marketplace Orbia é uma joint venture com a empresa Bravo, na qual a Bayer tem 80% de participação, que junta o programa de fidelidade com a possibilidade de compra online de insumos e de venda online de commodities com distribuidores, cooperativas e tradings. “Não estamos criando um e-commerce, mas incluindo parceiros distribuidores na plataforma”, disse. “Acreditamos que o agro vá mudar, que a mudança já está acontecendo para o mundo digital.”

A plataforma será inaugurada no dia 1º de novembro, com o programa de fidelidade e compra de insumos, e a partir de janeiro de 2020 entra no ar a possibilidade de venda de commodities. Café, soja e milho serão as primeiras commodities incluídas na modalidade de venda no primeiro trimestre de 2020, enquanto trigo e algodão devem ser incluídos no segundo trimestre. Operações de barter também poderão ser feitas por meio do sistema.

Segundo o diretor de experiência do cliente da divisão CropScience da Bayer, Thiago Junqueira, a nova geração do agro usa a digitalização na tomada de decisão. “A gente entendeu que precisava evoluir. A Bayer repensou a forma como precisava se reconectar com os produtores”, disse. Conforme o CEO da Orbia, Ivan Moreno, o sistema de distribuição passa por uma transformação com a entrada de players internacionais que pode levar a um movimento de consolidação do mercado. “A ideia não é corromper o sistema de distribuição, mas dar uma entrada para esse sistema no mercado digital”, disse. “Queremos dar todas as opções que o produtor tem no meio físico em plataforma digital.” Não há restrição à entrada de distribuidores que representam também outras empresas.

Moreno disse ainda que a Orbia está negociando tanto com bancos de varejo quanto com o sistema cooperativo para ofertar crédito. A primeira parceria nesse sentido deve ser anunciada dentro de 20 a 30 dias. Ainda conforme o executivo, dentro de um mercado de insumos e comercialização de commodities de R$ 108 a R$ 110 bilhões no Brasil, a empresa acredita que pode captar uma boa parcela por causa da abrangência que já tem com a Agroservice. “O potencial de início do negócio da Orbia é de R$ 70 bilhões só no mercado brasileiro”, disse. A meta é que 0,5% a 20% do mercado de comercialização de insumos e commodities possa ser atendida por meio da plataforma. A Orbia deve chegar à Argentina em 2020 e a outros países da América Latina em 2021.