Notícias

Correção: Centro-Sul processa 169 mil t de cana na 1ª quinzena do mês, diz Unica

A nota enviada anteriormente continha incorreções. A queda no processamento da primeira quinzena de fevereiro é de 39,64%, e não de 65,68%. Além disso, no sétimo parágrafo, a produção de açúcar é referente à primeira quinzena de fevereiro, e não à segunda quinzena de janeiro. Segue o texto corrigido.

São Paulo, 28 – As usinas e destilarias do Centro-Sul do Brasil processaram 169 mil toneladas de cana-de-açúcar na primeira quinzena de fevereiro da safra 2019/2020. O volume é 39,64% menor que o total de 280 mil toneladas moído em igual período da safra passada, informou nesta sexta-feira, 28, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). No acumulado da temporada, iniciada em 1º de abril de 2019, o processamento atingiu 579,469 milhões de toneladas, alta de 2,76% ante igual intervalo da safra passada, quando foram processados 563,912 milhões de toneladas de cana.

O recuo reflete a safra mais adiantada este ano e, possivelmente, a menor demanda global em decorrência da epidemia de coronavírus.

Até 16 de fevereiro, estavam em operação no Centro-Sul cinco unidades processadoras de cana e onze processadoras de milho – das quais três são dedicadas exclusivamente ao cereal.

Em virtude da baixa moagem na segunda quinzena deste mês, as produções de etanol e açúcar foram residuais. Com 74,19% da oferta total de cana destinada ao etanol na quinzena do mês (65,53% na safra) e 25,81% ao açúcar, a fabricação do biocombustível somou 99 milhões de litros na metade inicial de fevereiro, avanço de 62,30% ante igual período da safra passada, de 61 milhões de litros. No período avaliado, foram produzidos 100 milhões de litros de hidratado, queda de 6,54% ante 2019, e menos 1 milhão de litros de anidro – o levantamento também leva em conta o reprocesso, a conversão de hidratado para anidro e vice versa -, ante menos 45 milhões de litros em 2019.

O avanço do biocombustível na quinzena se deve principalmente ao etanol de milho. “Na primeira metade do mês, dos 98,83 milhões de litros produzidos pelas unidades da região Centro-Sul, 93,42 milhões de litros referem-se ao etanol de milho”, informa comunicado da Unica.

O diretor Técnico da entidade, Antonio de Padua Rodrigues, afirmou em nota: “Além da produção, reprocesso e estoque, estatísticas preliminares de acompanhamento dos desembarques indicam ainda a importação de 200 milhões de litros em fevereiro, complementando a oferta do biocombustível durante essa entressafra que está em equilíbrio com o nível de demanda atual”.

No acumulado da safra 2019/2020, 32,443 bilhões de litros de etanol foram produzidos, aumento de 6,88% sobre igual período do ano passado. Do volume total de etanol fabricado até 16 de fevereiro, 22,559 bilhões de litros foram de hidratado, alta de 6,35%, e 9,884 bilhões de litros de anidro, avanço de 8,12% ante igual período da safra passada.

A produção de açúcar foi de 3 mil toneladas na quinzena inicial de fevereiro, ante 2 mil toneladas em igual período de 2018/19, e acumula 26,488 milhões de toneladas na safra, alta de 0,48% ante 2018/2019.

O teor de sacarose na cana, medido na quantidade de Açúcar Total Recuperável por tonelada processada (ATR/t), foi de 60,48 quilos (kg) na primeira quinzena de fevereiro, 54,78% inferior ao de igual período da safra passada. No acumulado da safra, o teor de sacarose está em 139,16 kg de ATR/t, alta de 0,47% sobre 2018/2019.