• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias17/03/2022

Demanda por crédito do consumidor recua 4,3% em fevereiro, diz Boa Vista

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo17/03/22 - 17h23min

A procura do consumidor por crédito recuou em fevereiro, em relação ao janeiro, descontados os efeitos sazonais, segundo o indicador da Boa Vista de Demanda por Crédito do Consumidor. A queda praticamente devolveu a alta registrada um mês antes, também de 4,3%, em comparação a dezembro de 2021.

Ainda assim, a média móvel trimestral aponta alta de 5,6% no trimestre encerrado em fevereiro contra o trimestre encerrado em novembro. Na comparação interanual o ritmo ainda é elevado e o indicador registrou alta de 17,4%, contribuindo para acelerar o crescimento em 12 meses acumulados, que passou de 9,1% para 12,5%.

Segundo o indicador da Boa Vista, os números do segmento Financeiro registraram queda de 2% na comparação mensal e alta de 29,4% frente ao mesmo período de 2021. No mesmo sentido, o segmento Não Financeiro caiu 5,7% no mês e subiu 9,3% na comparação interanual. Já na comparação dos trimestres móveis, foi o segmento Não Financeiro que mais puxou o indicador agregado para cima, com alta de 7,6%, enquanto o segmento Financeiro subiu 2,6% na mesma base de comparação.

De acordo com a Boa Vista, o indicador se manteve num ritmo de alta na curva de longo prazo, mas o resultado no mês voltou a posicioná-lo abaixo do nível observado no período pré-pandemia, em fevereiro de 2020. A retração no mês se deveu a ambos os segmentos do indicador. E vale ressaltar também que a queda no segmento Financeiro reverteu nove meses consecutivos de alta, enquanto o resultado no segmento Não Financeiro interrompeu uma sequência de três meses de crescimento.

"No mais, a curva do segmento Financeiro segue acompanhando de perto a concessão de recursos livres às famílias, que aponta alta de 23,4% na variação acumulada em 12 meses, de acordo com números do Banco Central", pontuaram os analistas da Boa Vista.

Esse ritmo forte de crescimento em 12 meses, contudo, segundo eles, tende a perder o fôlego à medida que o cenário econômico não melhora. As pressões inflacionárias que já eram elevadas só aumentaram depois do início do conflito entre Rússia e Ucrânia e, de acordo com o boletim Focus mais recente, isso se refletiu num aumento da projeção de juros básicos, que subiu de 12,25% para 12,75%, e de inflação (IPCA), que passou de 5,65% para 6,45%. Ambos, por sinal, com viés de alta para as próximas aferições.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
BOA VISTA