• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias30/09/2021

Demanda se mostra baixa e leilão de energia A-5 transaciona 860,796 MW

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo30/09/21 - 12h46min

A leilão de energia nova A-5, assim como os anteriores, teve baixa demanda por parte das distribuidoras, como amplamente esperado pelo mercado, registrando potência instalada de 860,796 megawatts (MW) e injetada na rede de 209,400 MW, vendendo energia de cinco tipos de fontes, de acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

O leilão, que terminou com o preço médio de R$ 238,37 por megawatts-hora (MWh), teve um deságio de 17,47% em relação ao preço teto.

O preço marginal do certame, que é o custo a mais para a produção do insumo por parte da geradora, ficou em R$ 549,35 por MWh, enquanto a garantia física ficou em 375 MW médios. O investimento total previsto é de R$ 3,067 bilhões.

No certame, foram vendidas 20 usinas solares fotovoltaicas, que somam potência instalada de 236,396 MW, uma usina de resíduo sólido urbano, novidade no leilão, com potência instalada de 20 MW, além de sete termelétricas movidas à biomassa, que somam capacidade instalada de 301,200 MW, além de 11 eólicas, que possuem 161,300 MW de potência instalada, e uma usina hídrica, de 141,9 MW.

Em relação à demanda, apenas cinco distribuidoras compraram no certame. A Light, distribuidora do Rio de Janeiro, comprou o equivalente a 10.226 MWh, enquanto a Cemar, da Equatorial Energia, que atende o Maranhão, contratou 3.505 MWh de energia, a Celpa, também da Equatorial, requereu o total de 4.909 MWh, enquanto as empresas do grupo CPFL, Jaguari e Paulistas, que atendem o interior de São Paulo, compraram o equivalente a 3.794 MWh e 2.710 MWh de energia, respectivamente.

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), responsável pela avaliação técnica das usinas, cadastrou o total de 1.694 projetos, totalizando uma oferta de 93.859 megawatts (MW), com início de suprimento em 2026.

Os prazos variam de acordo com a fonte. Os contratos por quantidade serão de 25 anos para empreendimentos hidrelétricos e de 15 anos para projetos de energia eólica e solar. A contratação na modalidade por disponibilidade valerá para usinas termelétricas, com prazo de suprimento de 20 anos.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
A-5