• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias16/01/2022

Dias rebate Lira sobre combustíveis: ‘Proposta da Câmara não tem base técnica’

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo16/01/22 - 17h42min

Coordenador do Fórum Nacional de Governadores, o chefe do Executivo no Piauí, Wellington Dias (PT), rebateu as declarações feitas neste domingo, 16, pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que acusou os governadores de cobrarem agora soluções sobre o preço dos combustíveis "mirando" as eleições de outubro. Em publicação nas redes, Lira disse que a Câmara aprovou em outubro um projeto para aliviar os efeitos dos aumentos dos combustíveis, mas que ficou parado no Senado, sem apoio dos Estados.

Em nota, Dias afirmou que a proposta da Câmara não tem "base técnica". Para o governador do Piauí, o texto, apresentado "sem diálogo", não resolve o problema dos combustíveis e ainda causaria um desequilíbrio aos Estados e municípios.

Pelo texto aprovado pela Câmara, a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) - cobrado pelos Estados - passaria a ser feita considerando um valor fixo por litro, a exemplo de impostos federais PIS, Cofins e Cide, modelo conhecido como "ad rem". Ele substituiria a cobrança atual, que utiliza um porcentual sobre o valor do preço de venda ("ad valorem").

"A Proposta, sem qualquer diálogo ou base técnica, e apresentada não resolve, e ainda causa desequilíbrio a Estados e municípios", disse Dias. "Basta examinar o tamanho do lucro da Petrobras para saber quem está ganhando nesta falta de entendimento", adicionou o governador, reforçando o tom da declaração dada na última sexta-feira, 14, quando comentou a decisão do Comitê Nacional de Secretários da Fazenda (Comsefaz) de encerrar a fase de congelamento do valor do ICMS na bomba dos postos de gasolina no fim de janeiro, como originalmente previsto.

O congelamento, por 90 dias, foi anunciado em outubro do ano passado, em resposta ao projeto aprovado na Câmara e à pressão para que os governadores tomassem alguma atitude em relação ao preço do combustível.

Neste domingo, Lira foi às redes sociais para criticar a postura dos governadores e afirmar que cobranças sobre o tema precisam ser dirigidas ao Senado, presidido por Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
combustiveis