O Campo Digital

Edição de genes é patente brasileira

Crédito: Steve Debenport

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, de Brasília (DF), depositou recentemente a patente sobre uma tecnologia que utiliza enzimas de vírus bacteriófagos para “ligar” e “desligar” genes de plantas e de animais. O estudo representa uma nova metodologia de melhoramento genético. Por ele, por exemplo, uma planta de soja pode se tornar mais resistente à falta de água se for acionado um trecho de genes responsável por essa característica. A inovação já vem sendo testada há cerca de três anos por pesquisadores da estatal, em parceria com pesquisadores da Universidade de Brasília e do Instituto Oswaldo Cruz, do Rio de Janeiro.

TECNOLOGIA
Vitrine das próximas inovações no campo

Victor Hugo Cavalcante

 

O evento Esalqshow apresentou 21 inovações, entre produtos e serviços, em 11 vitrines tecnológicas para o agronegócio. Ele ocorreu no campus da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), de Piracicaba (SP), de 9 e 11 de outubro. Entre as inovações apresentadas estavam o uso de drones para coleta de imagens para fins de melhoramento de plantas, técnicas de produção de insetos e ácaros para controle biológico e experimentos de cultivo de espécies medicinais e aromáticas. A Esalq/USP promove a feira em parceria com a empresa Araiby Feiras e Eventos. Passaram pelo local 3,3 mil visitantes, mais 80 palestrantes e 74 expositores. A próxima edição da EsalqShow já está marcada para o mesmo período de 2019.

CONECTIVIDADE
Internet de alta velocidade no campo

A operadora de celular Tim, subsidiária da Telecom Itália, quer estreitar relações com o homem do campo. Depois de fornecer a cobertura 4G para cerca de 100 mil hectares da goiana sucroenergética Jalles Machado, a operadora está encabeçando outro projeto. Agora, são mais 22 mil hectares na fazenda Panorama, em Correntina (BA), do grupo gaúcho de produção de grãos SLC Agrícola. Se tudo der certo, o plano é cobrir todos os 404,5 mil hectares da SLC. O projeto faz parte da estratégia da Tim de levar conectividade 4G, soluções de transmissão de dados e internet das coisas para o agronegócio brasileiro. Como os projetos são feitos sob demanda, a operadora não estipula metas de cobertura.

TRIGO
Rede internacional contra o brusone

Um grupo de pesquisadores que reúne a Universidade de Passo Fundo (UPF), a Embrapa e a Universidade do Kansas (KU) desenvolveu um aplicativo para monitorar a doença brusone no trigo. Causada por fungo, a brusone é uma das pragas mais prejudiciais para o trigo, a cevada e o arroz. O Pic-a-Wheat-Field (“fotografe um campo de trigo”, em livre tradução do inglês) pode ser acessado pelo telefone celular, através de aplicativo no smartphone (sistema iOS ou Android) e do cadastro do usuário. O app marca as coordenadas geográficas e faz a leitura da foto, identificando a incidência da doença. A rede colaborativa criará um banco de dados global, além de um mapa interativo de como a doença está distribuída. Isso facilitará a adoção de medidas de controle em um possível surto.

STARTUPS
Fundo internacional mira inovações no campo

baranozdemir

 

A aceleradora Pearse Lyons abriu as inscrições para um novo processo seletivo de startups internacionais de tecnologia no campo. Os candidatos concorrem a uma participação no programa de orientação global, na sua sede em Dublin, na Irlanda, mais uma bolsa de € 15 mil e um pacote de benefícios de softwares de empresas como Google, Facebook, Softlayer e Amazon. O valor total do prêmio é de cerca de € 300 mil. Criada pelo executivo americano Pearse Lyons, fundador da Alltech, a aceleradora já fez três edições desse tipo de programa, nos quais já investiu cerca de US$ 28 milhões. Os interessados podem se inscrever até dia 7 de dezembro no site http://perspectpearselyonsaccelerator.com.

TRANSPORTE
Aplicativo de cargas dos cooperados

Joel Silva/Folhapress

 

A cooperativa Coamo, de Campo Mourão (PR), lançou seu próprio aplicativo para gerenciar o transporte de cargas. É o Coamo Fretes, que pode ser baixado em celulares Android. A ideia é criar um ambiente de negociação, conectando os caminhoneiros às demandas de logística da cooperativa. Pelo app, o motorista faz o cadastro de seu veículo, informa quais são as transportadoras pelas quais costuma embarcar e indica a intenção de transportar para a Coamo. A vantagem para o motorista, além de ganhar visibilidade na cooperativa, é ter prioridade nos fretes. E caso o produto a ser transportado seja alimentício, o motorista pode estipular o valor do frete pretendido.

LEITE
Laticínio e produtor mais conectados

Fabiano Cerchiari

 

A suíça Nestlé apresentou em meados de outubro um aplicativo de celular exclusivo para os seus fornecedores de leite no País. O app Leiteria é gratuito e por enquanto pode ser baixado em celulares Android. O objetivo é aumentar a relação de transparência com os produtores. Pela ferramenta é possível acompanhar e gerenciar aspectos produtivos e de gestão da propriedade, como demonstrativos de pagamento, nota fiscal, volume de leite coletado, resultados de qualidade e preço recebido. Também há a possibilidade de consultar o histórico dos dados e realizar o comparativos. Em breve, o Leiteria também poderá ser baixado em celulares com sistema iOS.

MÁQUINAS
Internet das coisas no comando do campo

Divulgação

 

O grupo americano AGCO, dono de marcas de máquinas agrícolas como Massey Ferguson e Valtra, mais a gaúcha Ilegra, apresentaram um projeto global e inovador de automação no campo. Através da conexão em rede, um software controlador fez o planejamento e dirigiu um conjunto de máquinas agrícolas contendo tratores e colhedeiras. O feito foi apresentado no Gartner Symposium/ITxpo 2018, em Orlando, na Flórida. A parceria tecnológica faz parte dos planos da AGCO em aplicar no campo cada vez mais a tecnologia de internet das coisas (IoT, na sigla em inglês). No caso americamo, as soluções já fazem parte de um pacote tecnológico destinado a esse mercado. No Brasil, a novidade foi apresentada no início deste ano, mas ainda não está no mercado.