Economia

Empresas britânicas ameaçam cortar relação com o Brasil se lei de terras públicas for aprovada

Crédito: Divulgação

Com a maior fatia da Amazônia em seu território, o Brasil precisa mostrar sustentabilidade e responsabilidade ambiental, inclusive no agronegócio (Crédito: Divulgação)

O Reino Unido esta descontente com algumas medidas de Jair Bolsonaro, tendo em vista que 40 empresas britânicas assinaram uma carta para o Congresso Nacional para que evite que o governo federal prossiga com os seus planos. O documento diz respeito a uma legislação proposta, a chamada Medida Provisória 910, ou PL 2633/2020, que tornaria legal as organizações privadas comprarem terras públicas na Amazônia, o que poderia resultar em mais desmatamento.

Segundo o site britânico Expreess, Tesco, Sainsbury’s, Marks & Spencer, Morrisons, Nando’s, Ocado, Moy Park e Burguer King UK são algumas das companhias que assinaram a carta. Todas estão prontas para cortar laços comerciais com o Brasil, caso a lei seja aprovada.

+ Capes divulga edital para financiamento de pesquisa na Amazônia Legal
+ Conselho anuncia operação em áreas protegidas da Amazônia Legal 

Um rascunho do documento publicado pelo Retail Soy Group aponta que em caso de aprovação da medida, “incentivará a apropriação de terras e o desmatamento generalizado, que colocariam em risco a sobrevivência da Amazônia e o cumprimento das metas do Acordo de Mudança Climática de Paris e minariam os direitos das comunidades indígenas e tradicionais”.

A carta também lembra da importância da Amazônia como um ambiente ecológico e o seu papel na regulação do clima global.