• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias15/12/2021

Estudos indicam que até maio de 2022 há sobra de energia, diz diretor do ONS

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo15/12/21 - 12h41min

O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema (ONS), Luiz Ciocchi, informou nesta quarta-feira, 15, que estudos indicam que até maio de 2022 haverá sobra de potência, ou oferta de energia, garantindo o abastecimento no Brasil, após um ano de grave crise hídrica.

"Os cenários melhoraram significativamente, porque a água chegou em outubro, dois meses antes do que chegou em 2020", disse Ciocchi em coletiva virtual para fazer um balanço de 2021 e falar sobre as perspectivas de 2022.

Ciocchi porém não afasta risco de racionamento em 2022, "por que risco sempre existe".

Ele afirmou, contudo, que os reservatórios estão melhores do que no ano passado e que o próprio ONS está mais preparado para enfrentar a crise.

O diretor-geral informou. ainda, que somente de energia eólica e solar serão adicionados mais 10 mil megawatts em 2022.

Termelétrica de Uruguaiana

Ciocchi informou ainda que a termelétrica de Uruguaiana, situada em município de mesmo nome no interior do Rio Grande do Sul, com capacidade instalada de 640 megawatts (MW), está operando por meio de liminar, apesar da contrariedade do operador. "Entramos com agravo para deixar de despachar, o preço é muito elevado e não deveria ser despachada", disse.

A Âmbar Energia, braço do grupo J&F, comprou a Central Térmica Uruguaiana (CTU), que pertencia ao grupo argentino San Atanasio Energia (Saesa) em junho deste ano, mas não conseguiu fazer a unidade operar no pico da crise hídrica, quando era necessária.

Agora, segundo Ciocchi, o ONS tem desligado as térmicas mais caras e vai operar em dezembro com um total de cerca de 15 mil megawatts de geração termelétrica, contra os 20 mil MW que vinham sendo despachados desse tipo de energia.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
crise hídrica