Negócios

Fertilizantes/Anda: Entregas recuam 0,6% em setembro/2019

Crédito: Divulgação

As entregas de fertilizantes ao consumidor final no mês de setembro do ano passado recuaram 0,6% em relação a igual mês de 2018, totalizando 4,223 milhões de toneladas. Os dados foram publicados pela Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda) e são os mais recentes da entidade. Quando observados os nove meses de 2019, o volume entregue, de 26,243 milhões de toneladas, superou em 1,5% o apurado no intervalo correspondente do ano anterior.

Mato Grosso, mais uma vez, concentrou as entregas de adubos no País de janeiro a setembro, com 20,6% do total ou 5,404 milhões de toneladas. Foi seguido pelo Paraná, com 3,432 milhões de toneladas; Rio Grande do Sul, com 3,285 milhões de toneladas; São Paulo, com 2,848 milhões toneladas; Minas Gerais, com 2,609 milhões de toneladas; e Goiás, com 2,572 milhões de toneladas.

Leia mais:

Entregas de fertilizantes no Brasil devem crescer 1,9% em 2020, diz INTL FCStone

Yara registra lucro líquido de US$ 199 milhões no 4º tri

A produção nacional também recuou na comparação anual. Em setembro do ano passado, 517,7 mil toneladas foram produzidas, queda de 30,6% ante igual mês de um ano antes. No acumulado do ano, de janeiro a setembro de 2019, o volume produzido, de 5,025 milhões de toneladas, foi 15,3% inferior ao reportado nos nove meses de 2018.

O volume importado de fertilizantes intermediários caiu 1,9% em setembro, mas foi 12,7% superior no acumulado do ano. Em setembro, foram trazidos do exterior 2,714 milhões de toneladas, enquanto nos nove meses do ano foram 21,341 milhões de toneladas. O Porto de Paranaguá (PR) foi a principal porta de entrada de adubos no País, com desembarque de 6,164 milhões de toneladas entre janeiro e setembro do ano passado, 7% a menos que no mesmo período de 2018.

Conforme a Anda, os estoques de produtos intermediários para fertilizantes e formulações NPK (de nitrogênio, fósforo e potássio) chegavam a 6,057 milhões de toneladas em 31 de dezembro de 2018, 9,5% acima dos 5,533 milhões de toneladas ao fim de 2017.

Contato: isadora.duarte@estadao.com