• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Geral25/02/2022

Fertilizantes: preços no mercado do País sobem com crise entre Rússia e Ucrânia

De acordo com dados da consultoria StoneX, um dos indicadores diários de preços reportava ureia a US$ 635 por tonelada

De acordo com dados da consultoria StoneX, um dos indicadores diários de preços reportava ureia a US$ 635 por tonelada

(Créditos: Arquivo / Dinheiro Rural)
Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo25/02/22 - 08h37min - Atualizado em 25/02/22 - 12h40min

São Paulo, 25 - Os preços dos fertilizantes no mercado físico brasileiro já refletem as incertezas de abastecimento global em meio ao acirramento da crise entre Rússia e Ucrânia, com invasão de regiões ucranianas por tropas militares russas. De acordo com dados da consultoria StoneX, um dos indicadores diários de preços reportava ureia a US$ 635 por tonelada CFR porto Brasil nesta quinta-feira, 24. O valor é US$ 65 por tonelada maior que o reportado na quarta, de US$ 570 por tonelada. "Os índices mostram aumento, mas as cotações tendem a continuar subindo", avalia o diretor de Fertilizantes da StoneX, Marcelo Mello.

Outro indicador semanal aponta para média da ureia de US$ 605 por tonelada nesta semana, alta de US$ 55 por tonelada ante a semana anterior. "Este indicador mostra a média da semana, por isso revela um efeito menor sobre os preços já que os aumentos dos futuros ocorreram a partir de terça-feira. Certamente, estamos acima deste nível no momento", disse Mello.

+ Conflito na Ucrânia não traz problema para abastecimento de trigo, diz Abitrigo

A alta das cotações no mercado físico acompanhou o aumento expressivo dos contratos futuros dos fertilizantes listados no CME Group, nos Estados Unidos. Os contratos derivativos de fósforo também subiram diante da escalada da crise.

Outro impacto observado no mercado brasileiro é a ausência de algumas misturadoras dos negócios. A retração deve-se às incertezas sobre quais patamares os preços dos adubos podem atingir antes de efetuar vendas para entrega futura, conforme Mello. "Elas tendem primeiro conversar com os fornecedores no exterior até o início da próxima semana para tentar entender o impacto e normalizar a comercialização", comentou.

A Rússia é um dos maiores players no mercado internacional de fertilizantes. É o segundo maior exportador mundial de nitrogenados e terceiro maior exportador global de fosfatados e potássicos, contribuindo com 16% dos adubos exportados no mundo. O país é o principal fornecedor de adubos ao Brasil, com cerca de 20% do volume internalizado anualmente.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
ataques Kiev