• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias30/09/2021

Fipe/Alelo: vendas de restaurantes e bares crescem 3,5% em agosto

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo30/09/21 - 21h15min

As vendas de bares e restaurantes cresceram 3,5% em agosto em comparação com o mesmo mês em 2020, segundo dados do indicador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com a Alelo.

O índice avalia o desempenho das vendas de refeições prontas em estabelecimentos como restaurantes, bares, lanchonetes, padarias, além de serviços de entrega e retirada em balcão. Os dados são calculados com base nas operações com os vouchers de alimentação e refeição da Alelo e comparados ao pandêmico ano de 2020.

Segundo o levantamento, mesmo que o número de transações tenha crescido, o valor gasto caiu 1,8% e o número de estabelecimentos que efetivou pelo menos uma venda em agosto subiu 1,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Mesmo assim, os indicadores de valor gasto, quantidade de vendas e número de estabelecimentos que venderam seguem em queda em relação ao período pré-pandemia, em 2019, com -28,9%, -46% e -3,7%, respectivamente.

O presidente da Alelo, Cesario Nakamura, disse que mesmo que os níveis pré-pandêmicos ainda não tenham sido atingidos pelos restaurantes, há progresso na quantidade de transações e estabelecimentos que efetuaram pelo menos uma venda. "Com o avanço da vacinação, é esperado que aos poucos a população retome seus hábitos de consumo com segurança", disse, em comunicado.

O Centro-Oeste segue sendo a região com a maior queda do valor gasto em restaurantes entre agosto de 2019 em comparação com 2021 (-35%), seguido Pela região Sul (-28,9%), Sudeste (-28,7%), Norte (-27,6%) e Nordeste (-27,6%).

Já o índice que acompanha as transações realizadas em estabelecimentos como supermercados e mercearias teve alta de 4,8% no volume de transações em agosto de 2021 em relação a 2020. O número de supermercados que realizou pelo menos uma venda também cresceu 2% em agosto se comparado ao ano anterior. Por outro lado, o valor gasto foi de -1,7% na comparação com 2020.

Se os dados forem comparados com 2019, houve um aumento de 3,1% no valor gasto pelos consumidores, na contramão da queda de 12,7% no volume de transações. A explicação, segundo os pesquisadores da Fipe, está na elevação dos preços dos produtos de supermercado.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
Alelo