• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias12/10/2021

Fipe/Bionexo: preços de medicamentos para hospitais recuam 1,31% em setembro

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo12/10/21 - 10h08min

Os preços dos medicamentos vendidos aos hospitais no Brasil registraram em setembro uma queda média de 1,31%, segundo o Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais (IPM-H), indicador calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) da Universidade de São Paulo (USP) e Bionexo-Health Tech, líder em soluções digitais para gestão em saúde.

A queda nos preços dos medicamentos no mês passado foi a quarta seguida depois de sucessivas altas registradas nos meses anteriores, marcados pelos picos de internações nos hospitais em decorrência do auge da pandemia do coronavírus. Em agosto o IPM-H já havia registrado queda de 2,29% nos preços dos remédios, após julho, de -1,90%, e em junho, de -0,81%.

Comparativamente, a variação mensal do IPM-H em setembro foi superada pelo comportamento do IGP-M, que caiu 0,64%, pela expectativa de mercado para o IPCA, que subiu 1,16% e variação da taxa média de câmbio, com alta de 0,53%.

"Os últimos resultados do índice refletem o cenário de estabilização dos tratamentos contra o coronavírus e avanço da vacinação em todo o país", afirma Rafael Barbosa, CEO da Bionexo.

O sistema de saúde, segundo Barbosa, está menos pressionado em virtude da maior oferta de medicamentos e menor demanda de pacientes, o que contribui para a acomodação dos preços e normalização do mercado.

O resultado de setembro foi impactado pela variação negativa nos seguintes grupos de medicamentos: sistema nervoso (-5,69%); sangue e órgãos hematopoiéticos (-2,14%); imunoterápicos, vacinas e antialérgicos (-2,06%); aparelho cardiovascular (-1,48%); agentes antineoplásicos (-0,69%); aparelho respiratório (-0,59%) e aparelho digestivo/metabolismo (-0,31%).

Por outro lado, os grupos que tiveram alta mensal foram: preparados hormonais, 2,67%; aparelho geniturinário, 0,93%; órgãos sensitivos, 0,66%; sistema musculoesquelético,0,20% e anti-infecciosos gerais,0,01%.

Acumulado no ano

Mesmo com as quatro quedas consecutivas nos preços dos medicamentos para hospitais, o IPM-H acumula no ano uma alta de 8,49%. O resultado é influenciado por aumentos em quase todos os grupos de medicamentos: preparados hormonais, 19,84%; sangue e órgãos hematopoiéticos, 17,14%; aparelho digestivo e metabolismo, 13,25%; órgãos sensitivos, 11,20%; imunoterápicos, vacinas e antialérgicos, 10,67%; sistema musculoesquelético, 9,09%; sistema nervoso, 6,68%; aparelho respiratório, 5,51%; anti-infecciosos gerais para uso sistêmico, 5,66%; agentes antineoplásicos, 5,34% e aparelho geniturinário, 5,03%.

No acumulado de 12 meses encerrados em setembro, os preços dos medicamentos acumulam uma elevação de 9,15%, impulsionada pelas altas nos grupos aparelho digestivo e metabolismo, 32,54%; sangue e órgãos hematopoiéticos, 18,89%; preparados hormonais, 13,07%; imunoterápicos, vacinas e antialérgicos, 11,63%; órgãos sensitivos, 11,38%; sistema musculoesquelético, 8,82%; agentes antineoplásicos, 7,56%; aparelho respiratório, 6,51%; aparelho geniturinário, 6,42%; sistema nervoso, 5,38%; e anti-infecciosos gerais para uso sistêmico, 1,06%. Em contraste, o grupo de medicamentos atuantes sobre o aparelho cardiovascular registra queda de 7,32% no período.

Sobre o IPM-H

O Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais (IPM-H) é uma parceria entre a Fipe e a Bionexo, com o objetivo de disponibilizar informações inéditas e de interesse público relacionadas à área de saúde, com foco no comportamento de preços de medicamentos transacionados entre fornecedores e hospitais no mercado brasileiro.

O IPM-H é elaborado com base nos dados de transações realizadas desde janeiro de 2015 através da plataforma Bionexo, por onde são transacionados mais de R$ 12 bilhões de negócios no mercado da saúde por ano, o que representa cerca de 20% de tudo que é transacionado no mercado privado nacional.

A Health tech conecta mais de duas mil instituições de saúde a mais de 20 mil fornecedores de medicamentos e suprimentos hospitalares. A cada mês e para cada grupo de medicamentos, a Fipe calcula o índice de variação do seu preço em relação ao mês de referência, levando em consideração algumas variáveis que podem ser relevantes para determinar o preço das negociações, incluindo quantidade de produtos transacionada, distância geográfica entre hospitais e fornecedores.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
hospitais