Série grandes feiras do Agronegócio

Fundesis destina R$ 1,2 milhão a iniciativas sem fins lucrativos

Crédito: Divulgação

De olho na inclusão social como perspectiva de desenvolvimento do oeste baiano, o agronegócio reafirmou durante a abertura da Bahia Farm Show 2019, nesta terça-feira (28), o compromisso com as entidades que se dedicam ao amparo das pessoas em situação de vulnerabilidade. Este ano, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Luís Eduardo Magalhães representou as 24 instituições beneficiadas por meio do Fundo do Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Bahia (Fundesis), que disponibilizou R$ 1,2 milhão para o financiamento de iniciativas sem fins lucrativos para promoção da educação, saúde, inclusão social, geração de emprego e renda, em oito municípios da região.

Durante a assinatura destes convênios, o presidente da Bahia Farm Show e da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestino Zanella, reafirmou a importância do engajamento dos agricultores baianos para o sucesso do projeto. “Este recurso vem de uma contribuição voluntária de parte do financiamento agrícola contratado pelos nossos associados da Aiba durante a contratação de financiamento agrícola no Banco do Nordeste (BNB). Com o sucesso da safra e solidariedade dos produtores, temos certeza que este valor será ainda maior no próximo ano”, afirma.

“Somos parceiros nesse bonito projeto que promove a mudança na vida de milhares de pessoas. O BNB tem como missão atuar como promotor do desenvolvimento e não há como falar de desenvolvimento sem falar em inclusão social. O propósito é transformar a vida das pessoas, proporcionando oportunidades para que elas possam ter um futuro e contribuir com o crescimento social e econômico do Oeste”, destacou Sidnei Reis superintendente interino do Banco do Nordeste.

As entidades sociais conveniadas podem aplicar os recursos em aquisição de equipamentos, construção, reformas e ampliação das atividades. Segundo Rônei Pereira, da Apae LEM, esta é a quinta contribuição dos agricultores para a entidade por meio do Fundesis, o que tem sido imprescindível para o desenvolvimento dos trabalhos na comunidade. “Gostaria de agradecer a todos os produtores rurais por a Apae de Luís Eduardo Magalhães ser novamente beneficiada. Isso tem feito a diferença na vida dos 210 jovens atendidos”, concluiu.

“Durante as entregas destas benfeitorias para as entidades, podemos perceber o quanto este recurso vem sendo bem aplicado em projetos que vêm proporcionando a melhoria de qualidade de vida de muitas pessoas, principalmente crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social”, afirma o produtor rural, Júlio Busato, presidente da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa). Desde o primeiro edital lançado em 2006, os agricultores baianos já garantiram o aporte de mais de R$ 4 milhões em recursos destinados para mais de 100 projetos desenvolvidos nos 14 municípios do Oeste da Bahia.