• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
O Campo Digital19/04/2022

Gestão de cultivo

Renata Duffles
Texto por:Renata Duffles19/04/22 - 19h34min

Uma nova tecnologia para gestão de safra foi disponibilizada ao mercado pela empresa 4intelligence. A ferramenta combina um algoritmo próprio da empresa com imagens de satélites para acompanhar o cultivo em todo o País e já representa um décimo do faturamento. Para o sócio diretor da 4intelligence, Juan Jensen, “trata-se de um setor importante para o País e tende a continuar crescendo. Dessa forma, usar a tecnologia para acompanhar esse desempenho faz todo o sentido”. A empresa fechou o ano de 2021 com rendimento de R$ 13,7 milhões, crescimento de 300% sobre o ano anterior.

Expansão
Nova era do agro

Pesquisa da KPMG apontou aceleração na expansão da conectividade no campo durante o último ano. Mais do que isso, reacendeu as discussões em torno do conceito de indústria 4.0. O tema, segundo a pesquisa, passou a integrar a lista das top 3 prioridades dos comitês executivos de 61% das principais empresas do agronegócio do País. De acordo com o sócio da empresa responsável pelo segmento de Indústria 4.0 & IoT, Luiz Sávio, “o que mais chama a atenção não é o volume de empresas que já aplicaram o conceito na prática, mas a quantidade delas em que as iniciativas principais estão em fases experimentais e de desenvolvimento”. Os dados apontam que entre os 75% dos projetos em andamento, 58% já estão aplicados ao negócio e 42% ainda estão em estágios iniciais, o que indica um grande potencial para evolução e amadurecimento nos próximos anos.

Agtech
Programa de aceleração

A Adroit Robotics é uma das agtechs selecionadas pelo SP Global, programa de Aceleração para Internacionalização de Startups Paulistas, iniciativa da agência InvestSP com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo. De acordo com o responsável pela expansão internacional da startup, Luiz Felipe Olivan, “ter acesso a um programa de capacitação direcionada, com mentoria e abertura de mercado, certamente facilitará o crescimento de forma mais assertiva”. A Adroit é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia LeafSense, que combina inteligência artificial e sensores, reinventando a forma de monitoramento na fruticultura (Foto à dir.).

Defensivos
Aplicação inteligente

A Natutec Drone e a Perfect Flight, plataforma de gestão e rastreabilidade de pulverização aérea, se aliaram para monitoramento de aplicação de defensivos biológicos via drones. O intuito é permitir que produtores tenham em suas propriedades informações para melhorar a pulverização das lavouras, garantindo mais eficiência e produtividade. “Faremos a gestão das liberações dos macrobiológicos e o principal serviço contratado foi a automatização do relatório, antes produzido em três dias e que nós entregamos em até três minutos”, afirmou o gerente de desenvolvimento de negócios da PerfectFlight, Paulo Villela.

E-commerce
Produtores mais conectados

Há pouco mais de dois anos, a FertiSystem, empresa especializada em tecnologias para plantio e distribuição de adubos, ampliou seu leque de atendimento com a uma plataforma de e-commerce. O objetivo de aproximar agroindústria e produtores rurais deu certo: as vendas cresceram 295% no último ano. Para a coordenadora de Marketing da FertiSystem, Patrícia Beckmann, uma das motivações foi a mudança no perfil dos produtores, cada dia mais conectados. “Esse número reflete a aceitação do público com o meio. Estamos bastante entusiasmados para os próximos cinco anos e esperamos alcançar a meta de quintuplicar o faturamento atual”, disse. Entre os produtos mais comercializados estão o dosador de adubos FertiSystem seguido de suas peças.

Tecnologia
Biometria bovina

A startup brasileira Databoi criou um sistema de biometria a partir do focinho do animal. Basta tirar uma foto com o smartphone e inseri-la no aplicativo para virar identificação na plataforma da agtech. Outros dados tanbém podem ser acrescentados à plataforma, como a localização do gado. A tecnologia envolve georreferenciamenton e tem todo processo protegido por blockchain. A acurácia nos primeiros testes, com cerca de 5 mil animais, foi de 97%. Uma segunda etapa, que deve chegar a 20 mil cabeças, validará o lançamento do aplicativo, previsto para chegar ao mercado até abril. Segundo o CEO da Databoi, Floriano Varejão, a ideia é que a plataforma preste vários serviços. “Estamos conversando até com bancos para criar uma carteira de créditos verdes”, afirmou.

Agfintech
Barter no cartão

Democratizar negociações por meio do sistema barter, ainda restritas a grandes produtores de culturas como soja e milho, foi um dos objetivos para a criação do MasterBarter. A agfintech, que tem entre seus fundadores Walter Dissinger, ex-presidente mundial da Basf e atual CEO da empresa, desenvolveu uma conta digital para facilitar o acesso ao crédito utilizando a produção como moeda de pagamento. O usuário também ganha um BarterCard que, de acordo com o executivo, “é o único cartão de crédito com bandeira Mastercard que oferece prazo safra para produtores rurais”. A projeção para 2022 é transacionar um volume superior a R$ 400 milhões. Mas o objetivo é cadastrar 80 mil agricultores e gerar volume financeiro de R$ 7 bilhões em três anos.