O Campo Digital

Gestão digital

Com um investimento de R$ 2 milhões, a gaúcha Phyll, especialista em softwares para pesquisa científica e agronegócio, lança em junho sua plataforma digital de gestão de projetos de pesquisa. A ferramenta atente a necessidades de agroindústrias em acompanhar melhor seus setores de pesquisa, desenvolvimento e inovação. Entre os destaques, está o módulo ‘Operation & Services’, que faz a gestão do banco de germoplasma, como micro-organismos e sementes, permitindo seu total rastreamento.

HORTALIÇAS
Primeira fazenda urbana

Diminuir as distâncias entre o produtor rural e o consumidor e, assim, erradicar o desperdício de alimentos. Essa é a ideia por trás do lançamento da primeira fazenda urbana da América Latina pela mineira BeGreen, criada em 2014 pelos administradores Giuliano Bittencourt (à dir.) e Pedro Graziano. A startup montou uma área de produção de 480 mil pés anuais de hortaliças e folhosas em estufas ao lado de um shopping em Belo Horizonte. “A produção é controlada com sensores que medem as condições da água e nutrientes para as plantas”, diz Bittercourt, CEO da BeGreen. Os planos é levar a ideia para São Paulo e Rio de Janeiro, no ano que vem, além de Uruguai, Chile e Argentina. Os sócios bancaram um investimento inicial de R$ 1,5 milhão e hoje a empresa recebe fundos não revelados da Liga Ventures. Para a expansão dos negócios, a startup abriu a captação de R$ 500 mil.

FRETE
O Uber da soja

Com o objetivo de monitorar o transportes de carga de ponta a ponta, além de ser uma opção de contratação de serviços de frete, a Brasil Fretes desenvolveu seu aplicativo que se assemelha ao americano Uber. A ferramenta conecta motoristas de caminhão e produtores que queiram um serviço de transporte de carga de grãos. Com a solução, é possível realizar negócios através do aplicativo, disponível para download gratuitatamente na App Store (Apple) e Google Play (Android), como também em qualquer computador conectado à internet.

CAFÉ
Adubo na dose certa

A brasileira Microquimica lançou em maio o aplicativo CheckFolha Mobile Café para celulares e tablets nas plataformas iOS (Apple) e Android. Distribuída gratuitamente, a ferramenta conduz o produtor durante a aplicação de adubos na medida recomendada para cada nutriente necessário ao cafezal. Para isso é preciso inserir no aplicativo os dados da análise foliar, feita em laboratório. A partir daí, o programa passa a apontar os nutrientes que merecem atenção na lavoura. O aplicativo funciona mesmo sem conexão com a internet.

CAFÉ
A queridinha da Samsung

Criada em fevereiro de 2016 pelos engenheiros florestais paulistas, Emily Shinzato e Esthevan Gasparoto, a Treevia foi listada em maio como uma das Top 100 Open Startups do Brasil. A agtech que desenvolveu uma plataforma de internet das coisas para monitorar o desenvolvimento de florestas é uma das startups de destaque aceleradas pela coreana Samsung. No ranking feito pela comunidade Wenovate, a Treevia ficou em primeiro na categoria Agronegócios e Alimentos.

CANA-DE-AÇÚCAR
De olho no florescimento

Com o lançamento do Digital Farming no mês de maio, a alemã Bayer passa a oferecer um aplicativo que dá alertas ao produtor com informações de previsibilidade de florescimento no canavial. É justamente nesse estágio que a planta perde peso e se tornando menos produtiva. Com a informação florescimento antecipada, o produtor pode programar um controle químico que reduz esse efeito. A ferramenta é gratuita e voltada para smartphones e tablets que possuem os sistemas iOS e Android.

SUSTENTABILIDADE
Fórmula da produção

Os produtores dos municípios baianos de Luís Eduardo Magalhães, São Desidério e Formosa do Rio Preto contam agora com uma ferramenta digital para planejar a expansão agropecuária sustentável em seu território e a monitorar o desmatamento da região. Trata-se do Portal Ambiental Municipal (PAM), criado desde 2011 pela organização não-governamental americana The Nature Conservancy. Entre as principais funcionalidades do sistema, que já atende produtores no Amazonas e no Pará, está o arquivamento e facilitação da consulta simultânea de dados sobre cada propriedade rural do município, obtidos por meio do Cadastro Ambiental Rural (CAR).