Porteira Aberta

Giro para o leite

Crédito: Divulgação

Para fomentar a pecuária leiteira no semiárido nordestino, o Instituto Luiz Girão, iniciativa da Betânia Lácteos, firmou convênio com Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Sicredi. O objetivo é facilitar o acesso a financiamento de capital de giro para pequenos produtores. Com as parcerias, o Instituto passa a operar como correspondente bancário oferecendo condições atrativas, como prazos mais elásticos de pagamento. Para acessar as linhas de crédito, os interessados devem ter ao menos 12 meses de faturamento e nenhuma restrição de CPF ou de CNPJ.

Tendência
Ração animal em marcha lenta

O cenário pouco favorável aos negócios provocado pela pandemia em 2020, atingiu em cheio o setor de ração animal. De acordo com a Pesquisa Global de Rações 2021, realizada pela Alltech, o setor cresceu irrisórios 1% no mundo, alcançando 1,2 bilhão de toneladas. Os dados foram coletados em mais de 28 mil fábricas de 140 países. Para 85% dos entrevistados, a principal causa do baixo desempenho foi o aumento do preço da soja e do milho. No Brasil, o cenário foi um pouco diferente. Com 77,6 milhões de toneladas produzidas, o setor evoluiu 10% na comparação com 2019. “O País tomou a frente na exportação de suínos para a China e se manteve firme no mercado. Isso puxou a produção de ração animal”, disse Thomer Durman, gerente de vendas da Alltech. O aumento do consumo interno de proteínas animais mais baratas como frango, suínos, ovos e leite, e a mudança de hábito alimentar da população também impulsionaram o aumento. “A produção de peixes chamou a atenção. Como é considerado mais saudável e visto como de menor impacto ambiental, mais pessoas começaram a consumi-los”, afirmou Durman. Para 2021, o setor acredita que os primeiros meses do ano serão semelhantes a 2020, já que os preços dos insumos tendem a permanecer altos. As regras de restrição de funcionamento de estabelecimentos, como restaurantes, também devem continuar impactando o setor indiretamente, mas a tendência para o segundo semestre deve mudar. “Acreditamos que ao longo do ano este cenário melhorará”, disse Durman.

Incentivo
Recursos para pré-custeio

Divulgação

Para dar maior suporte ao agronegócio brasileiro, o Sicredi vai destinar R$ 6,9 bilhões em créditos para o pré-custeio da Safra 2021/22. O recurso está disponível para associados do campo que desejem antecipar a compra de insumos para suas lavouras. No Plano Safra 2020/21, o volume total de recursos concedidos pela instituição ultrapassou os
R$ 20 bilhões. O Sicredi atende de grandes a pequenos produtores, ainda que seu foco preferencial seja o atendimento àqueles ligados à agricultura familiar.

Logística
Frete em disparada

Divulgação

O preço do frete cobrado pelas empresas do agronegócio aumentou 71,3% em comparação com 2019. Em número absoluto, chegou a R$ 0,14 por tonelada e por quilômetro rodado. Os dados são da plataforma on-line de transporte de cargas FreteBras. Ainda assim, a agropecuária foi um dos setores que mais aumentou a oferta de fretes (84%), atrás somente de construção civil (116%), e na frente de industrializados (79%). Para 2021, o resultado deve se repetir. “As previsões apontam que a safra de grãos atingirá um novo recorde, o que deve aumentar ainda mais a força do agro na economia do Brasil”, disse o diretor de Operações da FreteBras, Bruno Hacad.

Sustentabilidade
Novo polo no Cerrado

A divulgação do Ranking Forest 500 trouxe boas notícias para a pecuária brasileira. A JBS e a Minerva Foods conquistaram o primeiro e segundo lugares na categoria Proteína Animal. A classificação atesta que as empresas apresentam menores chances de vínculo com o desmatamento ou de potencial exposição dos fornecedores aos riscos florestais. “Trabalhamos com tecnologia de ponta para monitorar nossa cadeia direta nos biomas Amazônia e Cerrado, com 100% das propriedades analisadas”, disse Taciano Custodio, diretor de sustentabilidade da Minerva Foods.

Sucessão
Cecafé sob nova direção

Divulgação

Nicolas Rueda, diretor-presidente da ED&F Man Volcafé Brasil, foi eleito presidente do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) para o biênio 2021/22. Rueda substituirá Nelson Carvalhaes, que ocupou o cargo por dois mandatos e permanecerá como conselheiro. De acordo com o Cecafé, o novo presidente terá como missão o fortalecimento da representação política da entidade.

Finanças
Katayama e seus Títulos Verdes

Mais uma empresa do agronegócio cumpriu os critérios sustentáveis necessários para acessar o mercado de Títulos Verdes. O Grupo Katayama captou R$ 12,6 milhões, que serão utilizados para reembolso de investimentos feitos na unidade Terra Nascente Fertilizantes. A operação foi elegível por possuir impacto ambiental elevante, já que é responsável por receber os dejetos das aves poedeiras da sua planta avícola e transformá-los em fertilizante orgânico
composto classe “A” para fins agrícolas. O processo foi certificado pela pela Sitawi.

Inovação
Fibras têxteis de resíduos

Divulgação

Uma nova joint venture acaba de ser formada com o propósito de transformar madeira e resíduos agrícolas em fibras têxteis sustentáveis. A iniciativa envolve uma das maiores produtoras de celulose de eucalipto do mundo, a Suzano, e a startup finlandesa Spinnova. A primeira fábrica será construída na Finlândia, com investimento de 22 milhões de euros divididos igualmente entre as sócias. O investimento total, considerando todas as infraestruturas necessárias, é de aproximadamente 50 milhões de euros.

Benefício
Seguro Rural com caixa

fotokostic

João Doria, governador de São Paulo, e Gustavo Junqueira, secretário de Agricultura do estado, anunciaram a liberação de R$ 27 milhões para o programa estadual de subvenção do seguro rural. O teto do valor (prêmio) é de R$ 15 mil para cada produtor. Desse montante, 32,5% serão pagos com recursos oficiais. Os interessados devem procurar uma das 13 seguradoras credenciadas pela pasta e solicitar a adesão ao programa.

Negócios
Lucro para a BRF

Um dos maiores frigoríficos do Brasil, a BRF, encerrou 2020 com resultados positivos pelo 7º trimestre consecutivo, concluindo com êxito a reestruturação anunciada em junho de 2018. A companhia evoluiu de um prejuízo societário de R$ 4,47 bilhões para um lucro líquido de R$ 1,39 bilhão. A receita líquida total foi de R$ 39,47 bilhões, 18% maior no comparativo com 2019. Já o Ebitda ajustado foi de R$ 5,2 bilhões, alcançando uma margem de 13,1%, crescimento de 110,7% quando comparado ao início da reestruturação.

Expansão
Raízen compra Biosev

Divulgação

Líder mundial em açúcar e etanol de cana-de-açúcar, a Raízen assinou acordo para comprar a Biosev, uma das maiores empresas do setor. A transação envolverá pagamento de R$ 3,6 bilhões e ações. Com a integração, a Raízen passa a ter 35 unidades produtivas, totalizando uma capacidade instalada de 105 milhões de toneladas de cana.

Estratégia
Espumantes made in Brasil

Com o objetivo de incentivar a produção de uvas para espumantes no Brasil, a Cooperativa Vinícola Garibaldi aplicará R$ 10 milhões ao longo de 2021. Os recursos serão usados para ampliar a capacidade de processamento e implementar tecnologias para melhorar a qualidade dos produtos. “Com nossa boa situação financeira e nossa produção gerando receitas, certamente teremos condições de fazer planos bem mais audaciosos para o futuro”, disse o presidente, Oscar Ló. No ano passado, a cooperativa registrou crescimento de 7%, na comparação com o exercício anterior.