• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias15/12/2021

Guedes, sobre o FMI: Que eles vão fazer as previsões deles em outro lugar

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo15/12/21 - 20h08min

O ministro da Economia, Paulo Guedes, rebateu nesta quarta-feira, 15, críticas que, segundo ele, teriam sido feitas ontem à economia brasileira pelo ex-presidente do Banco Central (BC), que deve assumir em breve o cargo de diretor para o Hemisfério Ocidental do Fundo Monetário Internacional (FMI), Ilan Goldfajn.

Guedes, que vem se empenhando em desqualificar as previsões do organismo multilateral para a economia brasileira já há algum tempo, disse inclusive que vai desmontar em junho do ano que vem o escritório representativo do FMI no Brasil.

Estas declarações do ministro foram feitas durante uma rápida entrevista coletiva que ele concedeu à imprensa, ao lado do seu colega da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, após terem participado de evento na Fiesp, onde também estiveram outros ministros e o presidente Jair Bolsonaro.

No evento, Guedes já havia feito criticas ao FMI alegando que o organismo havia previsto queda de 10% do PIB Brasileiro no ano passado e recuo de 4% para a economia inglesa. No fim, segundo ele, a economia brasileira caiu 4% e a inglesa, 9,2%.

"Que eles vão fazer as previsões deles em outro lugar", disse o ministro, para quem o FMI já fez o que tinha que fazer no Brasil e que já poderia ter ido embora. E emendou que "só não foi embora porque talvez gostem do futebol, da feijoada e de bom papo".

"Eu não li a reportagem, mas fiquei sabendo das críticas de um ex-presidente do Banco Central. Eu vou falar, é o Ilan Goldfajn. Ele é um amigo, mas em época de política todo mundo critica e o Ilan também tem o direito de criticar. Mas já que tem um brasileiro que critica o Brasil indo para o FMI, ele não precisa mais ficar aqui", disparou Guedes.

O ministro reconheceu por diversas vezes durante o tempo em que permaneceu na Fiesp que o próximo ano será difícil para a economia brasileira porque "estaremos combatendo a inflação".

Mas de acordo com ele, não é também para jogar a economia brasileira para baixo porque tem elementos que vão compensar em parte o que a economia vai deixar de crescer pelo fato de o Banco Central estar elevando a taxa de juros para combater a inflação.

Ele citou como um dos elementos que vão contrabalançar a desaceleração da economia no ano que vem a renovação dos marcos regulatórios que vai assegurar investimentos de R$ 700 bilhões em dez anos, ou R$ 70 bilhões por ano a partir de 2022.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
críticas