Tecnologia

IAC: uma única variedade de cana domina 43% dos plantios no Centro-Sul

Crédito: Divulgação

São Paulo, 07 – O Instituto Agronômico (IAC) divulgou nesta quinta-feira, 7,os dados do seu segundo censo nacional de variedades de cana-de-açúcar, realizado entre abril e novembro nos canaviais do Centro-Sul. Conforme o instituto, houve redução na concentração de variedades utilizadas nos canaviais – de 77% para 75,1%. Ainda há, porém, grande predominância da variedade RB867515, “o que pode colocar em risco a canavicultura de alguns Estados, como Paraná e Espírito Santo”, comentou o IAC, em nota. Conforme o levantamento, esta variedade representa 43% dos canaviais e soma 42,8% da intenção de plantio em 2018/2019.

De todo modo, o IAC comenta que a redução detectada na concentração é “positiva” para o setor, por proporcionar maior segurança biológica frente ao surgimento de novas pragas e doenças. No censo, as variedades desenvolvidas pelo IAC representam 3,5% – além disso, na área a ser replantada ou plantada na safra 2018/2019 devem representar 6% das variedades escolhidas.

No total, os trabalhos recensearam, entre abril e novembro, área equivalente a 6 milhões de hectares em São Paulo, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraná, com informações de 216 unidades produtoras. Agora, em dezembro, o IAC iniciou a coleta de dados para a Região Norte-Nordeste.

Segundo o pesquisador e líder do Programa Cana IAC, Marcos Guimarães de Andrade Landell, a criação de indicadores resultantes do censo objetiva apurar se alguma região apresenta concentração de variedades tão grande que possa oferecer riscos, caso ocorra algum problema de doença ou praga com determinada variedade que represente grande parte do canavial. “Vale destacar que o índice de atualização varietal, ou seja, o uso de variedades modernas representa maior produtividade”, resume o pesquisador. Ainda conforme o IAC, a próxima safra a ser colhida será uma das mais “velhas”, ou seja, com canaviais não renovados.

O boletim informa ainda que o Programa Cana IAC recomenda que, em uma área de produção, uma única variedade de cana-de-açúcar não represente mais do que 15% do total.

Intenção de plantio

O levantamento sobre a intenção de plantio para a próxima safra, quando deverão ser plantados ou renovados cerca de 1 milhão de hectares, aponta para uma tendência na queda no índice de concentração. O Instituto Agronômico (IAC) apurou as informações junto a 146 unidades, totalizando 703.848 hectares. Portanto, foi recenseada cerca de 70% da área que será plantada. No Estado de São Paulo, a intenção de plantio aponta para 17% da área com a variedade RB966928; 10,5% com a RB867515 e 1,6% com a IACSP95-5094. A região de Assis – bastante modernizada – é onde se encontra a maior área de variedades IAC, com 3,7% da IAC87-3396, 3,2% da IACSP95-5000 e 1,8% da IACSP95-5094. Na região de Ribeirão Preto, a IACSP95-5094 é mencionada por 2,5% da intenção de plantio. Em São José do Rio Preto, esta variedade é citada por 2,3% dos respondentes. A região de Piracicaba intenciona plantar 1,9% da IACSP95-5000 e 1,3% da IACSP95-5094.