Notícias

IBGE: safra 2018 de arroz diminui 5,7% ante 2017; café e trigo aumentam

Rio, 8/2 – A safra de arroz de 2018 deverá totalizar 11,7 milhões de toneladas, uma queda de 5,7% em relação à produção de 2017. Os dados são da primeira estimativa para 2018 do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de fevereiro, divulgado nesta quinta-feira, 8, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para a área plantada, a estimativa do IBGE aponta para 2,0 milhões de hectares, 3,6% menor que em 2017. O rendimento médio estimado, de 5.990 kg/ha, ficará 2,5% abaixo do registrado na safra passada. Conforme o IBGE, o Rio Grande do Sul, maior produtor do País e responsável por 70,8% do total de arroz a ser colhido em 2018, deve produzir 8,3 milhões de toneladas, numa área plantada de 1,1 milhão de hectares e rendimento médio esperado de 7.722 kg/ha.

“O preço médio da saca de 50 kg de arroz em casca está sendo negociado em torno de R$ 37,00, abaixo do valor negociado nesta mesma época em 2017”, diz a nota divulgada mais cedo pelo IBGE.

Na contramão das estimativas para a safra nacional que, no total, deverá atingir 226,1 milhões de toneladas, 6,0% abaixo da safra anterior, a produção de café, puxada pela bienalidade positiva dessa cultura, e a de trigo deverão registrar alta em 2018.

No caso do café, a estimativa do IBGE alcançou 3,2 milhões de toneladas, ou 53,2 milhões de sacas de 60 quilos, alta de 14,9% em relação a 2017. “Apesar da redução de 11,2% na área plantada e de 1,5% na área a ser colhida, o rendimento médio deve crescer 16,8%”, diz a nota do IBGE.

Para o café arábica, a estimativa de produção do IBGE é de 2,5 milhões de toneladas, ou 41,4 milhões de sacas de 60 quilos, crescimento de 18,5% ante 2017. “A área plantada apresenta retração de 10,1%; a área a ser colhida, decréscimo de 2,3%, e o rendimento médio, aumento de 21,2% em razão da bienalidade positiva da safra no presente ano”, diz o IBGE.

Em Minas Gerais, maior produtor brasileiro de café arábica, a produção foi estimada pelo IBGE em 1,8 milhão de toneladas, crescimento de 18,0% em relação a 2017, com o rendimento médio avançando de 1.502 kg/ha para 1.896 kg/ha, aumento de 26,2%.

Para o café robusta canephora ou conilon, a produção estimada alcançou 708 mil toneladas, informou o IBGE, aumento de 3,9% em relação ao ano anterior. “Apesar de redução de 15,0% na área plantada, a área a ser colhida e o rendimento médio apresentam crescimento de 1,1% e 2,7%, respectivamente. A produção deve aumentar expressivamente no Espírito Santo, maior produtor brasileiro, provavelmente contribuindo com 71,5% do total nacional, em virtude da recuperação das lavouras”, diz a nota do IBGE.

No caso do trigo, a estimativa aponta para uma produção de 6,1 milhões de toneladas, numa área a ser plantada de 2,3 milhões de hectares e um rendimento médio de 2.668 kg/ha, altas de 20,0%, 44,5% e 20,3% ante 2017, respectivamente.