Economia

Imea: frigoríficos de MT aumentam capacidade de abate ante perspectiva de demanda

Crédito:  Jose Souza Ag. A Tarde Folhapress

Abates: No ano passado, a JBS e a Marfrig abateram 4,6 milhões de bovinos, volume equivalente a 15,4% do total nacional de 29,6 milhões de animais (Crédito: Jose Souza Ag. A Tarde Folhapress)

São Paulo, 28 – A capacidade de abate de bovinos aumentou em algumas regiões de Mato Grosso, informou o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) em levantamento semanal. No centro-sul do Estado, houve um incremento de 650 animais na capacidade diária de abate, entre este mês e dezembro de 2018, para 7,08 mil cabeças.

O norte e o nordeste do Estado tiveram incrementos de 100 e 440 cabeças por dia, respectivamente, também nos últimos três meses. Com isso, a capacidade de abate no norte mato-grossense foi para 3,76 mil cabeças por dia e a do nordeste chegou a 2,19 mil cabeças.

“Essas informações evidenciam uma maior necessidade e procura de animais para abate, mesmo com a demanda ainda patinando no início de 2019”, avalia o instituto.

Para o Imea, tal cenário permite que o pecuarista aumente suas possibilidades de escoamento e amplie o espaço para negociar a venda de seus animais. O instituto também observa que algumas indústrias já estão demandando mais animais para abate e parte da oferta de gado tem sido terminada no pasto.

O resultado é a valorização nos preços da arroba. “Se esse cenário se sustentar, atrelado às estimativas positivas na economia brasileira, os preços da cadeia tendem a permanecer em alta nos próximos meses em Mato Grosso”, projeta o estudo.

Na última semana, a arroba do boi gordo teve variação positiva de 0,31%, para R$ 137,35, enquanto a arroba da vaca subiu 0,34%, para 128,43. No curto prazo, a procura dos compradores aumentou com o objetivo de ampliar as escalas para o carnaval.

o Imea já observa que alguns frigoríficos têm demandado mais animais para abate e, ao mesmo tempo, alguns ainda estão sendo terminados no pasto, implicando valorização na arroba do boi gordo. Além disso, nota-se que os frigoríficos estão animados e apostando no aquecimento da demanda no carnaval. Na última semana, as programações do Estado aumentaram 0,98 dia, para a média de 6,73 dias.