Economia

INTL FCStone revisa produção brasileira de soja de 102,8 mi/t para 104,1 mi/t

Crédito: Foto: divulgação

São Paulo, 2/2 – A Consultoria INTL FCStone elevou suas estimativas para as produções de soja e milho no País em seu relatório de fevereiro sobre “Estimativa Brasileira da Safra de Grãos – 2016/17”. As condições favoráveis no campo fizeram a consultoria aumentar a estimativa de produção da oleaginosa para 104,1 milhões de toneladas, ante as 102,8 milhões de toneladas previstas em janeiro. Apesar do aumento, as preocupações com o clima permanecem.

“A ocorrência de chuvas muito frequentes, além de atrasar a colheita, dificulta os tratos culturais e pode trazer prejuízos para a produtividade. Não é só o excesso de umidade que preocupa, a falta de luminosidade também tem efeitos prejudiciais”, ponderou, em nota, a analista de mercado da consultoria, Ana Luiza Lodi.

A projeção de área plantada com a oleaginosa foi mantida em 33,585 milhões de hectares. A produtividade esperada, por sua vez, passou de 3,06 toneladas por hectare, estimadas em janeiro, para 3,1 toneladas por hectare.

Em relação ao milho, a estimativa de produção total ficou agora em 91,51 milhões de toneladas, cerca de 500 mil toneladas a mais do que o apontado em janeiro. Esse aumento decorreu de uma revisão dos números da primeira safra, enquanto as previsões para a safrinha ficaram inalteradas.

“O clima durante a safra de verão, no geral, tem sido favorável, com potencial de produtividade muito elevada, até mesmo recordes em alguns Estados, com destaque para os da Região Sul”, destacou a consultoria, no relatório. O rendimento médio da primeira safra está estimado em 5,14 toneladas por hectare, totalizando produção em 29,9 milhões de toneladas (ante as 29,4 milhões de toneladas previstas no mês anterior).

Sobre a safrinha de milho, ou segunda safra, a estimativa de produção foi mantida em 61,6 milhões de toneladas, resultado de uma área em 11,3 milhões de hectares, que representa um crescimento de 7,5% em relação ao ciclo 2015/16, e de uma produtividade média em 5,44 toneladas por hectare.