Negócios

JBS: repasse de preços a processados da Seara ainda não foi suficiente

São Paulo, 15 – O presidente da JBS na América do Sul, Wesley Batista Filho, afirmou que o repasse dos custos aos preços dos produtos da Seara no segundo trimestre de 2018 não foi suficiente para melhorar as margens da companhia. Em teleconferência com analistas, o diretor executivo de operações da JBS, Gilberto Tomazoni, acrescentou que este tem sido o principal desafio para as operações brasileiras e, neste terceiro trimestre, será necessário repassar cerca de 7% das despesas para o produto final.

“Temos custos maiores com grãos por causa da quebra de safra do milho no Brasil e do farelo de soja, que subiu aqui depois que a China taxou as commodities produzidas pelos norte-americanos. Agora, o Brasil tem que ser muito competitivo para melhorar sua eficiência operacional”, afirma Tomazoni. Ele lembra que, na teleconferência para apresentação dos resultados do primeiro trimestre, havia a expectativa de repassar 5% dos custos com grãos para o resto da cadeia, porém apenas 3% de aumento foi aplicado aos produtos da Seara. “Agora teremos que repassar, em média, 7% das despesas”, projeta.

Sobre o segundo trimestre, o diretor de operações acredita que o desempenho da companhia ficou abaixo de seu potencial, afetado pelas despesas mais altas e pela greve dos caminhoneiros. “Esperamos que o efeito residual da greve dos caminhoneiros seja menor no terceiro trimestre”, estima Batista Filho.