Cocheira

João Martins não perde a mão na CNA

Crédito:  Marcelo Camargo Agência Brasil

Embora um grupo de produtores de Mato Grosso tenha ensaiado um movimento de oposição para concorrer à presidência da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), ele não foi em frente. No mês passado, por unanimidade, as 27 federações estaduais confirmaram para os próximos quatro anos o produtor baiano João Martins da Silva Júnior à frente da entidade. João Martins, como é conhecido no setor, comanda a entidade desde 2015, quando a então presidente Kátia Abreu saiu para assumir o Ministério da Agricultura do governo de Dilma Rousseff. A CNA tem uma agenda pesada pela frente e Martins costuma ser duro em suas posições. Entre as principais está a reforma tributária, investimentos em logística e como a CNA se posicionará em um ambiente sindicalista, no qual as contribuições deixam de serem obrigatórias para serem voluntárias.

Frango
O embate chinês

FREDERIC J. BROWN

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) está pronta para enfrentar um fortíssimo parceiro comercial, que vem colocando empecilhos na relação. No caso a China, que no ano passado comprou por aqui US$ 859,5 milhões em carne de frango e que abriu uma investigação para apurar se, de fato, o Brasil está vendendo a preços menores que os praticados no mercado interno. Para dar uma resposta, no mês passado a ABPA contratou os escritórios MPA Trade Law, no Brasil, e HighLands, na China, para a defesa dos exportadores. “O Brasil respeita as normas estabelecidas pela Organização Mundial do Comércio (OMC) e não pratica dumping”, diz Francisco Turra, presidente da ABPA. Mas, caso os países não se entendam, a pendenga pode sim acabar na OMC.

Café
Starbucks tem uma mulher na presidência

Divulgação

Fundada em 1971 por três ex-estudantes da Universidade de São Francisco, Jerry Baldwin, Zev Siegl e Gordon Bowker, a Starbucks se transformou na maior rede de cafeterias do mundo. Com valor de mercado de US$ 11 bilhões e cerca de 23 mil lojas em 70 países, pela primeira vez em sua história esse império do café passa a ser administrado por uma mulher. Rosalind Brewer, que já estava no conselho da Starbucks, vai responder pela presidência e pela diretoria operacional. Brewer, aos 54 anos, tem 30 anos de experiência em administração, dos quais parte deles como CEO do Sam’s Club, o clube de compras da rede varejista Walmart.

Academia
Cátedra de honra

GABRIEL REIS

Neste mês, toma posse como o primeiro titular da Cátedra Luiz de Queiroz de Sistemas Agropecuários Integrados, que funcionará na Esalq/USP, o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues. A iniciativa do reitor da Universidade de São Paulo, Marco Antônio Zago, tem como meta promover reflexões e atividades interdisciplinares sobre temas relativos ao desenvolvimento e à sustentabilidade e suas aplicações com o ambiente e com a sociedade. “Era uma aspiração termos a cátedra funcionando”, afirma o professor Luiz Gustavo Nussio, diretor da Esalq. Para Rodrigues, a ideia em 2018 é explorar temas interdisciplinares para analisar cenários e propor projetos. “Cada nação elege um setor para investir”, diz Rodrigues. “A nossa vocação é a de alimentar o mundo.”

Santander
Crédito, só com CAR

Divulgação
O banco Santader, com uma carteira de R$ 40 bilhões no agronegócio, já decidiu: a partir do mês de janeiro só concederá crédito para o produtor rural que apresentar o Cadastro Ambiental Rural (CAR), juntamente com os documentos exigidos para a concessão de recursos. O CAR, instituído pelo Código Florestal, é um registro eletrônico obrigatório para todos os imóveis rurais. O País possui 5,2 milhões de propriedades rurais e 98% delas já possuem o cadastro. O governo federal, no entanto, vem ensaiando pedir o documento para os financiamentos subsidiados ao setor, mas até agora nada decidiu. “Independentemente de o governo levar isso em frente, o Santander vai exigir o CAR do produtor”, diz Marcos Madureira, vice-presidente de Relações Institucionais e Sustentabilidade do banco. “ E não vamos voltar atrás dessa decisão.”