Hippus

Liderança no quarto de milha

Crédito: Divulgação

Um recente levantamento da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha mostra os grandes líderes na criação da raça no País. O Estado de São Paulo vem em primeiro lugar, com um rebanho de 237 mil animais. Em segundo vem o Paraná, com 47,3 mil cavalos registrados pela ABQM. Presente em todo o País, o quarto de milha é uma das maiores raças de equinos no País em volume de animais. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a tropa já ultrapassa 540 mil cavalos, no Stud Book da raça. No Brasil, o rebanho de equinos registrados chega a cinco milhões de animais.

Brasil no pódio chinês

Divulgação

O primeiro dia de 2018 não poderia ter sido melhor para a equipe de jovens talentos do hipismo brasileiro. O País foi unânime na final da FEI Children 2017, durante o Equuleus International Riding Club, em Pequim, na China. Os atletas Philip Greenlees e Pietra Carolina Bizzotto ficaram com medalha de ouro e bronze, respectivamente. O torneio, organizado Federação Equestre Internacional, reuniu os 20 maiores nomes do hipismo mundial entre 12 e 14 anos de idade. Além da delegação do Brasil e da China, a competição contou com atletas da França, México, Síria, Argentina, Canadá, Colômbia, Alemanha, Guatemala, Nova Zelândia, África do Sul e Rússia.

Expectativa promissora

Divulgação

A Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) projeta um ano promissor para a raça. O clima de otimismo é embalado pelo aumento da participação da raça em torneios nacionais e internacionais, como os da Federação Internacional dos Criadores de Cavalos Crioulos no ano passado. A entidade registrou a participação de 23 mil exemplares da raça em competições esportivas, 18,7% a mais que em 2016. “Iniciamos o ano com bastante otimismo e será belíssimo para a raça, com desenvolvimento, crescimento e liquidez”, diz o criador Eduardo Suñé, presidente da ABCCC.

Sob nova direção

Com a nova diretoria empossada no mês passado, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM) prepara uma série de mudanças. Entre os planos está a criação de novas áreas, como equipes de inteligência de mercado, negócios e parcerias, gestão de núcleos regionais de criadores e pesquisa e análise técnica. Além disso, a ABCCRM quer divulgar mais a raça em exposições e eventos. “Isso vai levar a entidade a impulsionar a expansão da raça no País”, diz Luis Augusto de Camargo Opice, presidente da ABCCRM. Com um rebanho ativo de 25 mil animais na entidade, a meta é atingir 100 mil animais até 2020.

Cânter

Divulgação/ABCCMM

Antes de promover o que deve ser a maior cavalgada do mundo, com uma tropa de dois mil integrantes, no dia 7 de abril, em Caxambu (MG), a Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador (ABCCMM) quer movimentar as redes sociais. Segundo o criador Daniel Figueiredo Borja, presidente da ABCCC, com a palavra-chave (hashtag) #maiorcavalgadadomundo a entidade quer projetar a raça globalmente.

O que levou a entidade a criar essa ação?
A ideia é projetar a cavalgada na mídia. O poder de alcande das redes sociais é uma importante ferramenta de promoção do evento no País e no mundo.

Qual o próximo passo dessa campanha?
Agora o trabalho da entidade vai ser difundir ainda mais o evento fazendo com que a família Marchador e os amantes da raça falem do assunto, divulgando essa hashtag em suas postagens nas redes sociais.

Como estão os preparativos para o recorde?
O percurso de 14 quilômetros já está traçado e a logística está sendo planejada para atender a tropa. Assinamos um contrato com o Guinness Book, que vai acompanhar o evento.

Quais as regras dessa cavalgada?
Entre as principais dessa, que é a maior cavalgada de com apenas uma raça está a participação de animais microchipados e que estejam cadastrados no nosso plantel.